Sequestro de Carbono do Parque Biológico de Gaia

Nas últimas décadas, temos assistido a um aumento da concentração de CO2 na atmosfera. Este aumento é a principal causa das alterações climáticas. Com o intuito de diminuir a concentração de CO2 na atmosfera, o Parque Biológico de Gaia decidiu lançar o projeto Sequestro do Carbono. Para obtermos mais informação sobre este projeto, fomos falar com o seu Diretor, o Doutor Nuno Oliveira, que nos deu uma breve explicação sobre este projeto meritório e apresentou os seus objetivos. Em síntese, este projeto consiste em ampliar, com a ajuda de “mecenas”, a atual área do Parque Biológico de Gaia. Quem quiser, pode adquirir um metro quadrado de terreno (envolve um custo de 50€) e o Parque Biológico compromete-se a proceder à sua reflorestação e conservação por tempo indeterminado. Cada metro quadrado adquirido diminui a emissão de carbono em cerca de 4kg/ano. O objetivo é a aquisição de 230.000 metros quadrados de terreno. Fomos conhecer ainda parte da área já reflorestada com espécies autóctones, tais como carvalhos, sobreiros, sargaços, gilbardeiras, etc. A realização deste trabalho permitiu-nos aprofundar os conhecimentos sobre os efeitos extremamente negativos do aumento da concentração de dióxido de carbono, nomeadamente ao nível das alterações climáticas e saúde pública. Por outro lado, ficamos a saber que há Instituições que se preocupam seriamente com esta problemática e que tentam implementar medidas adequadas para o seu combate. O Parque Biológico é um ótimo exemplo disso pois quer reflorestar 230.000 metros quadrados de terreno, o que representaria a diminuição de dióxido de carbono em cerca de 920.000 Kg/ano. Consideramos este projeto meritório e gostaríamos de participar em ações de sensibilização e de angariação de verbas, por exemplo, junto das nossas famílias e da comunidade educativa da nossa escola.

 

Alunos envolvidos no projeto: Gonçalo Aguiar; Hugo Gonçalves; João Paulo Teixeira; João Pedro Pinto; Rui Pacheco

Escola: Escola Secundária de Almeida Garrett

Data: 27.09.2015

Partilha esta reportagem em