Tema JRA: Cidades

Good atitudes, clean water

Good atitudes, clean water

“In the old days, there was no running water at home, I had to walk more than half a kilometer to fetch water and fill the vessel”, comments Luís Gonçalves, retired, born in 1947. The effort of many governments in seeking access to adequate and equitable sanitation and hygiene for all has become a reality for many people. However, consumers don’t realize all the effort that was necessary, the path taken, to obtain quality and sustainability of this good and especially to maintain the high sanitation efficiency rate, for which it is crucial to change our unsustainable habits.

Um Perigo Verde

Um Perigo Verde

Com o crescente desenvolvimento tecnológico e industrial, as últimas décadas trouxeram um crescimento das estruturas nas cidades europeias. Conjugar o urbanismo nos espaços citadinos com a natureza é um desafio crescente que exige cada vez mais intervenção e inovação nos tempos atuais. A substituição de espaços verdes por infraestruturas é um erro muito frequente que traz consequências a curto e longo prazo, uma vez que a vegetação nas cidades é essencial para a sustentabilidade das mesmas.

Gaslighting – the danger for bats and for the world

Gaslighting – the danger for bats and for the world

The American administration, through president Trump, has announced that it would shut down the funding program to the foundation “EcoHealth Alliance”, which performed research on bats and worked in partnership with the Virology Institute of Wuhan. This institution was cut by 200 million dollars, risking the study of bat related diseases and of future pandemias caused by types of coronavirus. President Trump is accused of using psychological techniques, in which information is omitted, distorted and made up to cause doubt on American people’s minds and finding a scape goat for the problems of the world. This form of psychological abuse is also called gaslighting.

A Persuasão do capitalismo em tempo de pandemia

A Persuasão do capitalismo em tempo de pandemia

A contenção da pandemia levou os portugueses ao confinamento, o qual assustou a população, instalando-se rapidamente o receio da falta de bens de primeira necessidade. O governo previamente afirmou que “Não há razões para uma corrida aos supermercados”, do mesmo modo as associações da cadeia alimentar da produção à distribuição, garantiam o normal fornecimento de bens para o toda a população, afastando o cenário de rutura de stocks. Mas, iniciaram-se campanhas que apelavam a “encher a despensa”, mensagens que subliminarmente começaram a aparecer de forma subtil estimulando o consumo que, rapidamente, se transformou num açambarcamento. Estas campanhas eram contrárias ao discurso oficial, revelando a faceta da sociedade capitalista e de consumo que, jogando com os medos e receios, revelam mais uma vez o consumo desenfreado, irracional e insustentável.