Tema JRA: Agricultura

Invasoras – Perigo!

Invasoras – Perigo!

Uma planta invasora é uma planta que foi transportada da sua terra-natal para outra região, é uma planta que se desenvolve muito e acaba por danificar os ecossistemas, causando grandes prejuízos – excerto de um póster exposto. A nossa escola associou-se ao primeiro evento “Semana Nacional Sobre Espécies Invasoras”, que decorreu de 10 a 18…

Plantas Autóctones – Experiência na Horta

Plantas Autóctones – Experiência na Horta

As plantas autóctones estão adaptadas ao nosso clima, ao nosso solo e, por isso, requerem menos água, menos tratamento, porque são mais resistentes também às pragas e, portanto, implicam uma menor utilização de fitofarmacêuticos e de adubos. De facto, temos uma enorme variedade de plantas à nossa disposição, que podemos usar nos nossos jardins e hortas, desde os loureiros, aos medronheiros, passando por inúmeras ervas aromáticas. Assim, ao mesmo tempo que vamos fomentando a biodiversidade, usando as tais plantas que são específicas do nosso país podemos também utilizar as suas folhas e frutos.

Chá Europeu – “Pacto Ecológico Europeu: Catalisador de Recuperação Económica”

Chá Europeu – “Pacto Ecológico Europeu: Catalisador de Recuperação Económica”

Desta vez, a tradição do chá e dos bolos quentes não teve presença neste serão protagonizado pelo ambicioso Pacto Ecológico Europeu. Esta conversa, num contexto informal e com uma linguagem acessível, teve lugar na reunião Zoom organizada pelos jovens embaixadores do Parlamento Europeu na passada sexta-feira, dia 15 de janeiro.

Destruição de árvores faz germinar um movimento de revolta

Destruição de árvores faz germinar um movimento de revolta

Sob o pretexto da requalificação da Avenida dos Lusíadas em Braga, foram inicialmente abatidas 12 árvores consideradas “saudáveis” e emblemáticas. Este “rude golpe para a cidade”, segundo Pedro Augusto, um dos fundadores da “S.O.S. Árvores da Avenida dos Lusíadas – Braga”, gerou indignação por parte de um grupo de bracarenses preocupados com a perspetiva da espoliação do património arbóreo local. Esta contestação levou à mobilização espontânea de um grupo de cidadãos, com o intuito de procurar preservar as 56 árvores que irão ser abatidas, em cumprimento deste projeto de reabilitação apresentado pela Câmara Municipal de Braga.