Os incêndios do passado alertam o futuro

Desde o início de 2021, em Portugal, já ocorreram 1200 incêndios e já ardeu uma área de 5.477 hectares, segundo a nota emitida pela agência Lusa sobre os dados enviados pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil. Ou seja, os fogos mais do que duplicaram em relação a março de 2020, traduzindo-se por uma área ardida quase sete vezes superior, levando a refletir sobre a estratégia florestal do governo, com pano de fundo dos trágicos incêndios de 2017.

Os dados enviados à Lusa  pela Protecção Civil referente aos incêndios ocorridos entre 1 de janeiro e 25 de março de 2021, indicam que 83% ocorreram em zonas de mato. Este aumento relembra e alarma para a importância de uma boa estratégia florestal, como a limpeza, preparação de terrenos e uma boa reflorestação, de modo a evitar situações mais dramáticas, trazendo à memória os incêndios devastadores de 2017. “Prevenir para não ter de remediar”, para o nosso presidente da república, deve ser o mote para o Programa Nacional de Ação do Plano de Gestão Integrada de Fogos Rurais.

Fontes:

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/conselho-de-ministros-dedicado-as-florestas-ja-terminou-prevenir-para-nao-ter-de-remediar-pediu-marcelo

https://www.lusa.pt/article/s8awGf_W0panqieUNzdElDMSZM5iuSI1/mais-de-1-200-inc%C3%AAndios-e-5-477-hectares-de-%C3%A1rea-ardida-desde-in%C3%ADcio-do-ano

Luís Martins