Os humanos estão a destruir o mundo?

 

Após um dia de praia é frequente observar vários vestígios deixados pelos banhistas no areal. Este é, para muitos, o local de eleição para deixar os resíduos.

 

Na costa é possível encontrar diversos materiais, com destaque para o lixo marinho, composto por plástico, vidro, cartão ou outros materiais, que é lançado pela população para os locais menos apropriados. Por vezes, transparece a ideia de que existem aterros a céu aberto, apesar dos vários contentores disponíveis na praia.

Além do impacto na paisagem, o lixo marinho tem consequências para a saúde pública, porque a curto e, sobretudo, longo prazo a população é directamente afetada. Face à crescente ameaça, é urgente que a humanidade comece a desenvolver uma maior consciência ambiental, para combater este desequilíbrio que afetará as gerações futuras e os ecossistemas.

Rodrigo Tavares, surfista, frisa que “é indecente usufruir da costa e deixá-la no estado em que se encontra”. Inclusive, relata que quando sai da praia acaba por recolher não apenas o seu lixo, mas também o dos outros.

 

Martin Sampaio, banhista, afirma que “é lamentável ter de conviver com esta situação, uma vez que se trata de um espaço que é comum” e exige preocupação por parte da população no que diz respeito à conservação.

 

Alunos envolvidos no projeto: Bruno De Sousa

Data: 28.11.2018

Partilha esta reportagem em