Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras

O edifício do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras foi pensado de forma a produzir o mínimo impacto ambiental e paisagístico, tanto na construção como na demolição. Aqui, encontra-se um edifício sustentável pelo tipo de materiais utilizados que têm em conta a diminuição da pegada ecológica e o isolamento do edifício usando recursos e tecnologias mais ecológicas. A aplicação de pedras provenientes de um raio de 100km, a utilização de cortiça para isolar as paredes, o uso de madeiras certificadas para fazer sombra nas janelas permitindo ao mesmo tempo a entrada da luminosidade, a aplicação de uma bomba geotérmica favorecendo o aquecimento do edifício, a construção de claraboias nos tetos, a cobertura verde para manter a temperatura interior, o aproveitamento das águas pluviais para os autoclismos e rega, a instalação de painéis solares e da mini eólica foram algumas das estratégias aplicadas que distinguem este edifício sustentável.


A fotorreportagem apresentada de seguida foi realizada pelo alunos do 1º ano do Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural (equivalente ao 10ºano).

Resultou de uma visita ao Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras, um edifício inagurado à três anos e que pretende ser um exemplo de construção sustentável no Concelho.

A visita ao Centro foi realizada por duas turmas, tendo uma realizado a fotorreportagem e outra um artigo jornalístico.

O edifício do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras foi pensado de forma a produzir o mínimo impacto ambiental e paisagístico, tanto na construção como na demolição.
Aqui, encontra-se um edifício sustentável pelo tipo de materiais utilizados que têm em conta a diminuição da pegada ecológica e o isolamento do edifício usando recursos e tecnologias mais ecológicas.
A aplicação de pedras provenientes de um raio de 100km, a utilização de cortiça para isolar as paredes, o uso de madeiras certificadas para fazer sombra nas janelas permitindo ao mesmo tempo a entrada da luminosidade, a aplicação de uma bomba geotérmica favorecendo o aquecimento do edifício, a construção de claraboias nos tetos, a cobertura verde para manter a temperatura interior, o aproveitamento das águas pluviais para os autoclismos e rega, a instalação de painéis solares e da mini eólica foram algumas das estratégias aplicadas que distinguem este edifício sustentável.

 

Alunos envolvidos no projeto: Turma 1ºAno Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural

Escola: Escola Profi. Agrícola Fernando Barros Leal

Data: 22.06.2016

Partilha esta reportagem em