Após incêndio: a ameaça que emerge

Em Travassos, Póvoa de Lanhoso, no dia 26 de setembro deflagrou um incêndio que mobilizou 112 operacionais apoiados por quatro meios aéreos. Foi abertura de telejornal, mas com o apagar das chamas deixou de ser notícia. Esta fotorreportagem mostra o que a floresta ardida revelou após o rescaldo do incêndio e a estranha descoberta escondida na mata das nossas florestas proveniente do comportamento pouco cívico dos Homens quando de forma leviana empurram os problemas com a barriga.


Alguém pensa que na sequência de um incêndio emergem outros problemas que estavam escondidos na vegetação? No rescaldo do incêndio surgiram, por entre as cinzas e a vegetação queimada, resíduos domésticos abandonados. Resíduos lá colocados em busca de uma solução fácil para um problema. O lixo despejado para a floresta antes da tragédia pode vir a ser um problema ainda maior. Com atitudes irresponsáveis, as pessoas descartam o lixo, agravando mais a situação pós incêndios.Os plásticos e outros poluentes derretem com o calor do incêndio e contaminam o solo. Consequentemente, têm um efeito nefasto na qualidade da água, da fauna e da flora. Estes resíduos sofrem transformações físicas e químicas com o calor do incêndio e  passam a ter um alcance enorme, pois as chuvas levam as partículas  de plástico para as napas freáticas e rios próximos, voltando para o Homem e animais aquando do consumo de água e produtos piscícolas ou hortícolas, agravando o problema das águas lixiviantes.

This slideshow requires JavaScript.

 

 

Alunos envolvidos no projeto: José Diogo Azevedo Martins

Data: 29.12.2018

Partilha esta reportagem em