Amianto na nossa escola

No primeiro período, no âmbito do programa da disciplina de FQA, os alunos do 10º ano pesquisaram sobre fatores de poluição na região e surgiu a problemática de, na sua própria escola, ainda existir cobertura de amianto nos telheiros e em alguns telhados. Esta situação tem sido constantemente reportada por elementos da comunidade educativa e a direção tem lutado para que o problema seja resolvido e o amianto retirado, atendendo ao seu estado de degradação e aos problemas de saúde que possam daí advir (a escola tem mais de trinta anos!). Bastante sensibilizados para este assunto, os alunos apresentaram a pesquisa que a seguir se transcreve além das fotos devidamente legendadas.


MEMÓRIA DESCRITIVA

 

Amianto na nossa escola

Ainda existem coberturas de amianto nos telheiros e em alguns telhados. Esta situação tem sido constantemente reportada por elementos da comunidade educativa e a direção tem lutado para que o problema seja resolvido e o amianto retirado, atendendo ao seu estado de degradação e aos problemas de saúde que possam daí advir .

“Proibida a sua utilização/comercialização na União Europeia desde a data de 1 de Janeiro de 2005, o amianto (ou asbesto, como também é conhecido) continua a ser encontrado em diversos estabelecimentos, nomeadamente em algumas escolas públicas mais antigas, como é o caso da nossa, a Escola Secundária Dr. João Carlos Celestino Gomes.

O nome, derivado do grego “amiantos”, que significa incorruptível é uma “variedade fibrosa de sais minerais metamórficos de ocorrência natural, resistente à ação do fogo, pelo que é utilizado para fabricar materiais e tecidos incombustíveis”. Mas foi utilizado, principalmente, sob a forma de amianto-cimento, um composto de, como o próprio nome indica, amianto e cimento nas décadas de 60, 80 e 90 do século passado na construção civil e naval, indústria automóvel, entre outros. Na indústria de construção é utilizado para diversas finalidades, sendo as principais telhas de fibrocimento; revestimentos e cobertura de edifícios; gessos e estuques; revestimentos de tetos falsos; isolamentos térmicos e acústicos.

Como tem uma elevada resistência química, térmica, elétrica e à tração, foi usado em larga escala, o que, após a proibição de utilização deste composto, dificulta a remoção deste material de todos os locais nos quais foi utilizado.

Porque foi proibido?

Podemos dizer que o perigo deste componente decorre sobretudo na inalação das fibras libertadas para o ar.  A presença deste material de construção tem sido associada a casos de cancro, asbestose e, ainda, de mesotelioma. Por ano, cerca de 39 pessoas morrem devido a estas doenças que estão associadas à exposição ao amianto.

 

Trabalho realizado pelos alunos do 10º ano da Escola Secundária Dr. João Carlos Celestino Gomes – Ílhavo

 

 

Alunos envolvidos no projeto: Catarina Oliveira, Maria Inês Melo , André Pinto e Diogo Ribeiro

Escola: Escola Secundária Dr. João Carlos Celestino Gomes

Data: 07.02.2018

Partilha esta reportagem em