A poluição no meio aquático é um problema ambiental. A sociedade tem conhecimento da situação, mas parece pouco sensível ao facto, pois continua a contribuir para a mesma. Existem, contudo, algumas soluções eficazes para a melhorar a situação atual. É necessário divulga-las e pô-las em prática.


É possível reduzir a quantidade de resíduos domésticos que se encontram no ambiente aquático?

A poluição química é a poluição provocada por agentes químicos com diversas origens. Existem dois tipos de poluentes: os biodegradáveis, que podem ser decompostos, e os persistentes, que permanecem no ambiente e nos seres vivos por um longo período de tempo [1].  A biorremediação, que é um bioprocesso que utiliza microrganismos para remediar o ambiente contaminado através de mecanismos de biodegradação natural, constitui um meio de remoção de poluentes ambientais de uma forma eficiente, económica e amiga do ambiente, podendo ser aplicada para a descontaminação de águas, solos e ar. Ao nível dos oceanos este processo tem, entre outros, um papel preponderante na descontaminação de derrames de petróleo, auxiliando na recuperação dos ecossistemas marinhos [2].

Com o objetivo de aprender mais sobre a biorremediação, o grupo de trabalho estabeleceu contacto com uma investigadora do CIIMAR (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental) que, após uma exposição acerca do tema, propôs a realização de uma atividade experimental para comprovar que a biorremediação permite, efetivamente, remover poluentes. Os seres vivos necessitam de fontes de carbono para o seu desenvolvimento. Utilizando resíduos domésticos que poluem a água dos rios e dos oceanos, através dos esgotos, inocularam-se determinados microrganismos em meios de cultura previamente elaborados, aos quais se adicionou os diversos poluentes orgânicos (produtos de higiene pessoal e de limpeza doméstica) que serviram de fonte de carbono para o crescimento das bactérias inoculadas. As culturas foram mantidas nas condições ideais para o crescimento dos microrganismos e após três dias registaram-se os resultados.

Foi possível verificar que os produtos químicos utilizados em alguns dos produtos de higiene pessoal e de limpeza doméstica permitem o desenvolvimento de colónias de bactérias, sendo este um sinal de que ocorreu uma biodegradação natural destes poluentes.

Com a utilização destes microrganismos nos meios aquáticos poderá ser possível eliminar ou reduzir parte da poluição nos ambientes marinhos, provocada por agentes químicos derivados dos resíduos domésticos. A prevenção da poluição deve ser o plano A, mas o facto de conhecermos um plano B é uma mais-valia para a nossa sociedade.

[1] https://www.suapesquisa.com/poluicaodaagua/poluicao_quimica.htm

[2] http://www.ciimar.up.pt/oCIIMARnaEscola

 

Alunos envolvidos no projeto: Catarina Marques, Beatriz Norton e Carolina Gomes 10ºE

Escola: Escola Secundária Filipa de Vilhena

Data: 01.06.2018

Partilha esta reportagem em