Uma vida dedicada aos animais

No Jardim Zoológico de Lisboa, a tratadora Filipa Cardoso trata dos marsupiais, entre os quais, os coalas, todos os dias desde do último ano.


As fêmeas vivem em comunidade ao contrário dos machos.

No Jardim Zoológico de Lisboa, existem algumas espécies de marsupiais entre eles os coalas (“não bebe”, na língua Aborígene) e os cangurus. Estão encarregues destes animais quatro tratadores, uma delas a Filipa Cardoso uma jovem de 26 anos. A Filipa foi voluntária durante 9 anos no Jardim Zoológico, no entanto, só começou a ser tratadora como profissão há um ano atrás. Não precisou de tirar nenhum curso superior para ter o emprego dos seus sonhos. Segundo ela, é um privilégio construir uma relação com um animal selvagem.

Ser tratadora de coalas como a Filipa, implica saber alimentá-los com vários tipos de eucaliptos como Goniocalyx e Marcarturi, mas não só. Também é importante saber diferenciar o sexo desta espécie, no caso concreto do Jardim Zoológico de Lisboa, só existe um macho e este encontra-se isolado, só desta forma se consegue garantir o bem-estar destes animais, pois são muito territoriais e agressivos, sobretudo, na época de acasalamento. Podemos distinguir o macho da fêmea através de uma mancha castanha na pelagem do peito.

Um tratador deve estar atento a todos os detalhes, por exemplo, os coalas nunca bebem água, logo, quando bebem, significa que não estão a obter a água necessária através do alimento.

Existem muitos aspetos a ter em consideração como, por exemplo, a temperatura ambiente das instalações, que deve apenas oscilar entre os 21ºC e os 25ºC e permitir as condições ideais para que estes animais possam dormir entre 18h e 22h por dia, para ajudar na digestão.

A prova de que estes animais são tratados da melhor maneira, consiste no nascimento de uma cria, Bunji, que reside atualmente em Viena de Áustria.

Para além dos marsupiais, Filipa, tem também outra paixão que são os mamíferos marinhos porque em termos de comportamento são animais desafiantes e deseja que um dia, o Jardim Zoológico de Lisboa receba o canguru-arborícola.

Por fim, esta tratadora de marsupiais, deixa uma recomendação para os amantes da natureza, participar no programa de voluntário desta instituição.

 

Alunos envolvidos no projeto: Andreia Coelho; Rita Reis; Beatriz Jesus; Bruno de Sousa; Afonso Abreu

Data: 15.03.2019

Partilha esta reportagem em