Um apelo por todos nós

Tenho e sempre tive orgulho da cidade em que vivo, Santa Maria da Feira. Podemos não ser uma cidade grande, mas somos, com toda a certeza, uma grande cidade, aos mais variados níveis: recriação histórica, animação de rua, gastronomia, cultura,... Porém, como tudo aquilo que é bom, a cidade Feirense transporta um mal iminente: as ruas.


Lixo deixado nas ruas.

Caminhar é um hobby que adoro, de maneira que tento fazê-lo (quase) todos os dias, mas, progressivamente, tenho prestado mais atenção a determinados pormenores que compõem essas minhas caminhadas, mais especificamente as ruas por onde as faço. Hoje chegou ao limite!

Assisto, cada vez mais, a situações horrendas: lixo disperso por toda a via, sacos do lixo acumulados nas bermas da estrada, plásticos e embalagens derivadas deste composto em terrenos baldios, beatas de cigarro encrustadas na calçada do pavimento, garrafas de vidro partidas em zonas de lazer, entre tantas outras situações. Enquanto redijo este artigo pergunto-me onde estará o civismo e qual a ação/atuação da autarquia relativamente a tudo isto?

As beatas estão por todo o lado.

Lembremo-nos do meu artigo anterior (a consultar aqui) e façamos uma análise reflexiva e generalizada da nossa atitude respeitante a todas estas circunstâncias, lembremo-nos de que ” (…) nós somos os intrusos neste Planeta. Isto é, foi o planeta Terra que nos acolheu e não o contrário!”, como dizia no artigo referido, reconheçamos o problema que existe não apenas nas grandes cidades como Lisboa, da qual se tem ouvido falar, mas também em  todas as outras cidades, em todos os outros locais do nosso Planeta, do único Planeta em que efetivamente podemos habitar. Tenhamos uma atitude mais dinâmica! Conservemos o nosso lixo até encontrarmos um local próprio para o seu despejo e, sempre que possível, recolhamos o lixo de maiores dimensões que encontramos, porque, por mais insignificante que consideremos estas ações, estaremos a contribuir para o nosso bem-estar e para o bem-estar das gerações vindouras, bem como para o Planeta ao qual podemos chamar Terra, em todos sentidos da palavra. Às autarquias, e em especial à Câmara Municipal da minha cidade, é necessário demonstrar um papel mais ativo nesta área, quer seja pela colocação de mais caixotes do lixo/contentores (bem são precisos), quer seja pela promoção de uma fiscalização mais apertada ou até de ações de sensibilização para a comunidade em geral.

 

 

Alunos envolvidos no projeto: Bruno Dias

Escola: Escola S/3 de Santa Maria da Feira

Data: 21.01.2019

Partilha esta reportagem em