A Natureza é uma das matérias mais complexas que existe, tal como das mais belas. Existem milhões de espécies diferentes, mas no entanto temos apenas conhecimento de algumas, uma pequena parte das espécies que definem o conceito de Natureza. Cada uma delas tem a sua própria beleza e importância, a sua própria magnificência, e cabe-nos a nós respeitar cada ser vivo, por mais estranho ou insignificante que nos pareça.

Uma das mais belas demonstrações que a Natureza exibe são os rituais de acasalamento das diferentes espécies.

Os rituais de acasalamento são o conjunto de comportamentos desenvolvidos por uma espécie, com o objetivo de encontrar um parceiro com quem acasalar, de modo a garantir a continuidade da sua espécie e evitar a extinção. Cada espécie tem os seus próprios rituais de acasalamento, de maneira a melhor cativar um parceiro.

A beleza destes rituais consiste na forma em que os animais tentam captar a atenção de um parceiro, oferecendo prendas e demonstrações de carinho, cantando melodias, exibindo as suas cores fascinantes, competindo para mostrar as suas habilidades, construindo ninhos elaborados, ou mesmo realizando danças encantadoras.

Muitas espécies desempenham extraordinários rituais de acasalamento, que tanto cativam o parceiro como nos deixam estupefactos com a sua beleza e elegância. Alguns destes artistas selvagens são a Aranha Pavão, as Aves-do-Paraíso, a Foca-de-Crista, o Pássaro-Cetim, a Fragata, os Flamingos-Andinos, entre muitos outros.

A Aranha Pavão habita nas floresta do sudeste australiano, próximas de Sydney, e, apesar de o macho medir aproximadamente 4 milímetros de largura, executa um curioso e elaborado ritual de acasalamento. O macho levanta duas pernas, agitando-as no ar e dançando enquanto abre um par de asas pintadas com cores vivas e atractivas, de modo a poder cativar a fêmea.

As Aves-do-Paraíso vivem nas profundezas das florestas tropicais da Papua Nova Guiné. A família das Aves-do-Paraíso é composta por 39 espécies diferentes, em que os machos possuem uma beleza exuberante, com caudas longas, penas com cores vivas e contrastantes e alguns adornos no seu corpo. Foi comprovado que estas características únicas não trazem qualquer benefício aos machos, servem apenas para impressionar as fêmeas no acasalamento. Os rituais de acasalamento destas espécies são dos mais bonitos espectáculos que podemos observar, pois estas aves não se limitam a mostrar as suas cores variadas e beleza, estas dançam, cantam e ainda ajeitam as suas penas com o intuito de cativar as suas parceiras de um modo impressionante. As parceiras analisam os machos, as suas danças e cores, procurando as qualidades mais desejáveis para poderem acasalar.

Já a Foca-de-Crista, que vive nas regiões frias, demonstra uma habilidade bastante engraçada. O macho infla a sua cavidade nasal, expandindo-a e formando um grande balão vermelho representativo da sua masculinidade, afastando os machos mais fracos e conquistando as fêmeas.

Os Pássaros-Cetim machos têm como tradição oferecer uma grande quantidade de presentes às suas pretendentes, construindo uma elaborada estrutura de palha e decorando-a com objectos que consigam captar a atenção da fêmea. A maioria das decorações são feitas com objectos azuis que estes pássaros conseguem encontrar. Os machos, que vivem nas florestas húmidas, após conquistarem as fêmeas, dançam para estas.

Outros pássaros com rituais de acasalamento interessantes são as fragatas, habitantes das ilhas oceânicas tropicais. Para atrair as fêmeas, os machos desta espécie enchem de ar um saco de pele que têm junto ao papo. Este saco assemelha-se, então, a um grande coração vermelho, contrastante com as suas penas pretas. As fêmeas escolhem para parceiro o macho que tiver o saco maior e mais brilhante.

O Flamingo-Andino é uma das quatro espécies de flamingos existentes na América do Sul e um excelente dançarino na época de acasalamento. Todos os flamingos ficam muito próximos uns dos outros enquanto repetem uma dança na esperança de encontrar um parceiro. Durante esta bonita dança, os flamingos mantêm as cabeças erguidas e viram-nas para todos os lados em busca de um parceiro.

Estes são alguns exemplos de animais pouco reconhecidos que fazem fantásticas demonstrações em busca de um parceiro para poderem dar continuidade à sua espécie. O acasalamento pode ser difícil para alguns animais, porque os escolhidos são sempre os que mostram ter qualidades mais apelativas (astúcia, inteligência, velocidade, elegância, agilidade e força), para estas mesmas qualidades serem transmitidas aos descendentes, ou os que executam os rituais de forma mais sedutora.
Os rituais de acasalamento são demonstrações da beleza e complexidade da Natureza e das espécies que dela fazem parte. Não devemos destruir qualquer zona natural, pois mesmo que nos pareça que nada habita naquela zona, ou que as espécies que lá habitam sejam insignificantes, todas as zonas da Natureza têm várias espécies, todas importantes e que podem estar ameaçadas pelas nossas atitudes. Assim podemos concluir que devemos respeitar e proteger a Natureza, porque ela é bastante importante e, apesar de às vezes não nos parecer, tem uma beleza extraordinária!

 

Alunos envolvidos no projeto: Sofia Margarida Gomes Leitão

Data: 01.02.2017

Partilha esta reportagem em