RiR – Resíduos in Rio

Festival exemplar na recolha e separação dos resíduos produzidos.

O Rock In Rio (RiR), trabalha, desde 2008, para conseguir ser o mais sustentável possível, tendo sido certificado com o ISO 20121,pela primeira vez, em 2013.

Em 2008, foi também atribuída a certificação 100R, iniciativa da Sociedade Ponto Verde(SPV), na qual o festival se comprometeu a encaminhar corretamente os seus resíduos, com o intuito de melhorar a gestão dos mesmos produzidos durante o festival e acumulados no parque lisboeta.

No Stand da SPV foi possível vermos que houve uma preocupação em criar um stand sustentável, com a mínima produção de resíduos, com o uso de tintas à base de água e sem químicos até à composição do mesmo com a reutilização de todos o material e da doação da alcatifa utilizada. Conceberam um conceito de sensibilizar as pessoas através da pintura facial com tinta verde florescente com o slogan #Face for Green, no sentido de espalhar a mensagem de sensibilizar o público para festivais mais sustentáveis.

Assim, foi criado um plano de gestão que visa a reutilização de materiais, a redução da quantidade de resíduos encaminhados para aterro, a prevenção através da sensibilização, produção de composto orgânico para uso em projetos de reflorestamento e, finalmente, a doação dos materiais e excedentes alimentares.

O RIR tem uma parceria com a ValorSul e a Câmara de Lisboa visando um melhor controlo e manutenção do recinto.

Residuos in Rio

Os trabalhadores que efetuam a limpeza são uma presença constante no recinto

São contratados à volta de 170 trabalhadores da Câmara que participam na recolha do lixo que é deitado ao chão. Camiões e pequenas carrinhas circulam constantemente à volta do recinto para esvaziar perto de 1.300 contentores que estão espalhados ao longo do parque durante o festival.

Outra das soluções que é posta em prática é o projeto social de doação de comida excedente a instituições de solidariedade. Diariamente, em conjunto com a ReFood e Comunidade Vida e Paz, já foram doadas mais de 10.000 de refeições em Lisboa e Las Vegas, o que não só evita o desperdício de alimentos, como também uma maior contribuição para a redução da produção de resíduos.

Há também várias campanhas de sensibilização do público no RiR, e a doação de algum material cinematográfico a escolas de teatro, material de construção a associações e relvado sintético a outros eventos que possam ser realizados após o festival.

Com estas medidas, num total de 1675,7 toneladas de resíduos produzidos durante todas as edições nos quatro países em que ocorreram (Brasil, Portugal, Estados Unidos da América e Espanha), foi possível ser valorizada cerca de 70% dessa mesma quantidade.

 

E o que pensam os festivaleiros?

Número de ecopontos

Após um inquérito a 15 pessoas no festival verificou-se que a maioria  estava satisfeita com a disposição dos vários contentores ao longo do recinto, o que revela uma boa organização destes e um bom trabalho por parte dos responsáveis por recolher os resíduos.

Concluindo, embora o evento tenha sofrido uma grande evolução no que toca ao tratamento e recolha dos resíduos, verificou-se a necessidade de existência de um ponto de separação azul, especialmente perto das zonas de comes e bebes onde havia embalagens feitas de cartão. Mesmo assim o Rock In Rio é neste momento, o mais sustentável festival de música a nível mundial.

 

Alunos envolvidos no projeto: Catarina Sousa; Rafael Almeida; Pedro Gonçalves

Data: 23.05.2016

Partilha esta reportagem em