Proteção da Serra de Canelas

Atendendo aos problemas da nossa área de residência (NUT III Área Metropolitana do Porto) pesquisamos e estivemos atentos aos vários problemas e, percebemos que as freguesias do centro do município de Gaia foram negligenciadas do ponto de vista do investimento municipal por anteriores legislaturas. Este mesmo problema foi reconhecido pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Eduardo Victor Rodrigues em anteriores entrevistas ao jornal gaiense Dessa forma, e atendendo a conjuntura nacional do último verão e dias cinzentos do mês de outubro, pareceu-nos oportuno apontar o problema dos incêndios e proteção da floresta da Serra de Canelas/Negrelos.


A Serra de Canelas localiza-se na margem sul do rio Douro, e por consequência a sul do Porto, no município de Vila Nova de Gaia, na freguesia interior de Canelas. Assim sendo, está também a norte do distrito de Aveiro. Por essas razões é conhecida como o pulmão da Área Metropolitana do Porto. Pensa-se que a sua cobertura vegetal primitiva tenham sido carvalhos alvarinhos, porém, hoje, está maioritariamente invadida por eucaliptos. Contém ainda acácias, alguns castanheiros e sobreiros e, cobertura silvestre.  Na serra conseguimos observar alguns trilhos de BTT e pedestres, em condições pouco seguras para desportistas e caminhantes. Nos últimos tempos, as notícias fazem ainda destaque aos incêndios de que as florestas portuguesas foram vitimas no verão e, atipicamente, no mês de outubro e, a serra de Negrelos/Canelas não foi exceção. Constata-se, portanto, que houve um défice de recursos humanos e materiais para os vários focos de incêndio que, se agravavam pelas fortes rajadas de vento e altas temperaturas bem como, pelo estado da floresta em si.

No que toca ao estado da floresta, não é novidade que grande parte da Serra está poluída com materiais inflamáveis, que abordaremos no ponto seguinte que, poderão ter sido a possível causa do incêndio, dadas as altas temperaturas atípicas que se fizeram sentir á altura do mesmo. Para dificultar ainda mais o trabalho dos bombeiros, a presença inadequada e perigosa de eucaliptos em grande quantidade, levaram ao difícil controlo e extinção de frentes dadas as características desta árvore. Para piorar toda esta conjuntura, a degradação das restantes árvores, também provocada pela contaminação dos lençóis de água, elevou o incêndio a dimensões possivelmente mais alarmantes do que as que se registaram.

É de realçar que a Serra de Negrelos/Canelas constitui um dos maiores povoamentos florestais de V.N de Gaia e por isso também uma das zonas com maior contribuição para a qualidade do ar do município.

Faz parte da história de Canelas e de V.N de Gaia a existência de pedreiras ativas nesta zona no século passado, e que em tempos, contribuíram para a prosperidade económica da população do interior do município. Assim que as minas encerraram a sua atividade, estas ficaram ao abandono e suscetíveis ao meio ambiente, aumentando o nível de poluição da área. Estas mesmas pedreiras, permaneceram sem qualquer plano de requalificação durante vários anos degradando todo o meio ambiente e poluindo os lençóis de água com elementos tóxicos presentes nestas jazidas. Exemplo disso foi o Lago das Pedreiras, que era realmente uma pedreira que com o passar do tempo acumulou água e transformou-se num lago que deve ser considerado tanto como um perigo ambiental, visto que alberga restos mortais de variados tipos de animais, resíduos tóxicos e materiais de construção, como um perigo á segurança pública.

Para além disso, a serra acabou por se tornar num depósito de lixo da zona industrial e de lixo doméstico podendo-se encontrar de tudo desde plástico, embalagens com resíduos tóxicos, tecidos até eletrodomésticos e mobiliário deixando a serra vulnerável a incêndios.

Como a melhor solução, a nosso ver, para os incêndios para além do combate, é a sua prevenção e a valorização da floresta apresentamos algumas propostas que nos parecem viáveis e pertinentes.

No ponto de vista da prevenção:

  1. Limpeza da Serra de Canelas. Recorrendo ao elevado desemprego no conselho, a ocupação destas pessoas para a limpeza da floresta, em horário flexível e grupos de jovens incentivados pela comunidade educativa e pela câmara podem ser também uma alternativa, apesar de no inicio de este ano já terem sido realizadas algumas campanhas de limpeza são ainda insuficientes;
  2. Reflorestação gradual substituindo os eucaliptos por árvores autóctones, de preferência de cobertura vegetal primitiva da serra. Dessa forma, para além de uma reflorestação consciente, segundo um plano de ordenamento de território florestal, seria possível a preservação da flora autóctone e primitiva da mesma.

No ponto de vista da valorização:

  1. Potencialização de várias atividades turísticas na serra de Canelas como os desportos radicais (nomeadamente melhorar os trilhos de BTT na Serra de Canelas de forma a serem mais seguros e interessantes do ponto de vista do desporto), o turismo religioso (devido á presença da Igreja do Senhor do Calvário), e turismo de natureza (criação de novas rotas e trilhos que passem pelos os pontos mais interessantes da Serra).

É ainda de salientar a presença, num dos pontos mais altos da serra, a Capela do Sr. Do Calvário que atrai vários crentes especialmente em setembro, a quando da romaria do Senhor do Calvário.

 

Alunos envolvidos no projeto: • Tatiana Moreira; Igor Vitorino; Gonçalo Geirinhas; Artur Inocêncio.

Escola: Escola Secundária Almeida Garrett

Data: 15.06.2018

Partilha esta reportagem em