Em véspera de abertura do recinto onde se realizará o Festival Rock in Rio 2016, são vários os pontos de vista dos Marvilenses, sendo positivo de acordo com o limpeza e a organização do bairro e negativo devido à mobilidade e ruído, relativamente à influência do mesmo a nível social, ambiental e económico.


É graças ao festival Rock In Rio (RIR) Portugal que o bairro da Flamenga, localizado na proximidade do recinto, passou a ser conhecido na cidade de Lisboa

Atualmente com cerca de cinco mil marvilenses, o bairro da Flamenga está mais limpo e organizado. Segundo testemunhos de moradores deste bairro, no período de preparação e desenvolvimento do RIR, o cuidado com a manutenção e limpeza do bairro é uma das preocupações. “Nada de lixo”, refere Miguel (48 anos), um dos moradores do Bairro. Para além disso, o evento contribui para o desenvolvimento local do Bairro, contribuindo para a promoção da freguesia. “Vem muita gente”, refere Laurinda (82 anos) e há “mais dinheiro”, refere Guilhermina (27 anos), gerente do café local.

"Gostamos do ambiente, mas não do barulho noturno" - Silvério Dias

Moradores do Bairro da Flamenga (Marvila)

Embora sejam diversos os benefícios do evento, as transformações paisagísticas que ocorreram no espaço do recinto são apontadas pela maioria dos moradores entrevistados como um dos principais problemas. O parque infantil e um conjunto de árvores de grande porte foram retirados para dar lugar ao Palco Mundo, provocando assim a diminuição da biodiversidade. “Já não se vê corujas”, referiu Albertina (45 anos).

Barulho e trânsito

Outro dos constrangimentos identificados pelos residentes é o “barulho e o trânsito”. “Para quem está lá dentro é bom, para quem está fora sofre com o barulho”, refere Lucineira Rancho (31 anos). “Gostamos do ambiente, mas não do barulho noturno”, refere Silvério Dias (60 anos).

Bairro Da Flamenga

Bairro da Flamenga (Marvila)

Também Narciso, Coordenador do centro Porta Amiga de Chelas, afirmou que durante o festival, devido às alterações do trânsito, a acessibilidade ao Parque da Bela Vista torna-se caótica, embora considere que não afeta gravemente o bairro da Flamenga.

João Valsassina, Diretor do Colégio Valsassina, reforça este problema, “o trânsito interdita o acesso à escola e os pais dos alunos mostram-se descontentes e incomodados pela falta de estacionamentos” disse.

Em suma, a perda da biodiversidade e sobretudo a qualidade do ambiente sonoro e a mobilidade, são os aspetos relatados que mais negativamente afetam os residentes do bairro da Flamenga.
Os moradores que encaram o festival como uma oportunidade, quer a nível do lucro gerado no comércio local (cafés), quer ao nível da limpeza do bairro, beneficiam diretamente ou indiretamente com o mesmo.

 

 

 

Alunos envolvidos no projeto: Rubén Antunes; Jéssica Santos; Inês Português

Data: 19.05.2016

Partilha esta reportagem em