Permacultura: Uma estratégia a aplicar nas Estufas

Este trabalho realizado por um grupo de alunos do 10º A, pretende denunciar as más práticas aplicadas nas estufas do Algarve assim como, promover uma solução: a Permacultura. Nas estufas são usados fertilizantes químicos e na Permacultura usam-se fertilizantes biológicos, desta forma os produtos aí produzidos são mais saudáveis e esta prática age a favor da Natureza e das suas necessidades.


Os fertilizantes continuam a ser um grande problema na agricultura nas estufas sendo que para corrigir as consequências que trazem para o solo devemos adoptar medidas que consigam melhorar a qualidade do produto como por exemplo, a Permacultura.

Nas estufas usam-se diversos químicos que protegem as plantas e combatem diretamente organismos nocivos.

Estes produtos têm vários nomes consoante a seu alvo, no geral são pesticidas, são usados nas estufas porque as culturas podem ser atacadas por pragas ou poderão por ventura adoecer e isto leva a perdas quais totais da cultura que está a ser produzida. Logo, a aplicação destes produtos é vantajosa pois minimiza as perdas e garante que as culturas se mantenham saudáveis.

O aspeto positivo da utilização destes produtos é que combate de pragas e doenças. Um dos grandes aspetos negativos é o uso excessivo e irresponsável destes produtos. Isto trará consequências para a saúde humana e para o solo. Para evitar este tipo de consequências, quer ambientais, quer na saúde humana, é deveras importante ler o rótulo de cada produto onde se encontra os perigos e as medidas de segurança necessárias para que o produto seja aplicado adequadamente. É importante respeitar as doses recomendadas no rótulo e não excedê-las.

Esta prática agrícola, ainda que seja ditada por diversas regras não protege o meio ambiente a 100%.

Os produtores não diminuem a utilização destes produtos pois para tal seria necessário incentivá-los e fornecer subsídios monetários ou favorecimento fiscal que lhes permitisse manter preços competitivos pois haveriam perdas nas produções e o seu grande objetivo é manter a sua atividade minimamente rentável.

Diminuir a utilização de pesticidas era o ideal e para tal a Permacultura é uma solução.

A TerraCrua tem a sua sede em Loulé no Algarve, foi fundada em 2015 e dedica-se á Permacultura.

Entrevistámos Mélanie Vairinhos, assistente de designer ecológico regenerativo.

Como funciona a permacultura?

Este projecto consiste no planeamento integral e de raiz da propriedade num contexto da condicionante legal referente ao PDM zona de agricultura condicionada II: «zona de infiltração máxima para aquíferos» : as movimentações de terra, construções, etc., são limitados e como tal, a legitimidade e viabilidade do projecto -e o nosso desafio- assenta na escolha de um modelo de gestão das terras que será compatível com o PDM.

Figura 1: Mapa do projecto familiar de guest house rural, automonia energética da propriedade e pequenas produções agrícolas.

A permacultura é um conjunto de estratégias e técnicas para a conceção de paisagens, é uma disciplina que pretende organizar e estruturar as paisagens para que os ecossistemas e a natureza estejam em harmonia. É melhor para o bem-estar humano, a permacultura diz-nos que devemos trabalhar com a natureza e não contra a natureza, tirando partido das suas vantagens. A partir do momento em que trabalhos com a natureza desenvolvemos um sistema que gasta menos energia na implementação e na manutenção. Na agricultura a permacultura pretende criar agro-sistemas que estejam equilibrados.

Quais são os aspetos negativos e os aspetos positivos da permacultura?

A permacultura usa fertilizantes naturais e não trás quaisquer consequências para o solo, nem para a biodiversidade antes pelo contrário, a biodiversidade quando estamos num agro-sistema gerido segundo os conceitos da permacultura, irá aumentar, fomentar e reproduzir-se mais rapidamente.

A Permacultura reconhece o valor dos solos e o único aspeto negativo é que se plantarmos alguma coisa, o processo natural demorará mais tempo, mas a qualidade será maior.

Como é que a permacultura atua quando há pragas?

Nas estufas aplicam-se herbicidas para eliminar ervas daninhas, a permacultura aborda isto de forma diferente. Analisa o solo, estuda as ervas descobrindo a sua função e averiguando o que essas ervas podem trazer de benéfico.

As ervas produzem biomassa que poderão criar húmus e em vez de lavrar, a permacultura irá propor, por exemplo, que se cortem as ervas para que se possam aproveitar nutrientes.

O mesmo acontece em relação às pragas, a permacultura estuda o parasita e um possível predador. Por exemplo a mosca da azeitona é um grande problema, a permacultura em vez de matar a espécie com inseticidas vai colocá-las num local com ervas daninhas, pois as moscas também se alimentam disso, evitando quer o esgotamento das plantações de azeitonas quer o extermínio das moscas.

Os produtos que resultassem da Permacultura seriam mais saudáveis?

Os produtos que resultassem da permacultura seriam mais saudáveis pois não seriam usados herbicidas/pesticidas nem fertilizantes, apenas fertilizantes naturais. A qualidade dos produtos produzidos com o uso de fertilizantes é reduzida assim como a qualidade do solo. Com estes processos investe-se mais dinheiro e polui-se mais. O grande problema do uso dos fertilizantes é que ao longo dos anos vai desgastando os solos tornando-os impróprios para plantações.

Como poderíamos persuadir os agricultores a optar pela Permacultura?

Para persuadir os agricultores deve-se conseguir dizer que o investimento num sentido reduzirá gastos noutro e vai produzir riqueza mais qualitativa e menos gastos energéticos ao fim de algum tempo.

Qual seria a melhor maneira de promover a Permacultura la á população e o que é que a TerraCrua faz diariamente para promover a Permacultura?

A permacultura pode ser aplicada a escala pequena ou grande. É uma forma viável e é mais sustentável a nível financeiro. Os agricultores não optam pela permacultura pois há pouca informação, logo o primeiro passo seria fornecer informação gratuita aos agricultores e á população. A Permacultura faz projetos agrícolas, projetos de agroturismo, eco resorts e desenhamos as paisagens para que os proprietários desses terrenos tenham um impacto mais positivos na Natureza.

Desta forma, concluímos que a Permacultura é uma solução viável que poderia ser aplicada nas estufas pois seria a melhor forma de cultivar alimentos sem desgastar os solos, sem trazer más consequências para o meio ambiente, os alimentos seriam mais saudáveis beneficiando a saúde da população.

Com base em técnicas de agricultura regenerativa e culturas perenes que regeneram os solos, aumentam a sua qualidade e sobretudo, maximizam a capacidade de infiltração e de retenção de água nos solos, o planeamento da Terracrua veio legitimar o projecto.

Figura 2: Local onde foi aplicado o projecto desenvolvido pela TerraCrua.

 

Alunos envolvidos no projeto: Rodrigo Dias, Sofia Ramalho e Soraia Severo

Escola: Agrupamento de escolas Pinheiro e Rosa

Data: 31.05.2018

Partilha esta reportagem em