O transporte público é bom, mas o automóvel é ainda melhor?!

Comodidade ou erro de mobilidade? O facto é que o automóvel continua a ser o meio de transporte predileto numa Lisboa onde existe uma vasta rede de transportes. os visitantes do Rock in Rio (RIR) optaram por deslocar-se pelos seus próprios meios, não só por trazer mais conforto mas também segurança.


Um questionário aleatório realizado durante o primeiro dia do Rock in Rio 2016, revela a dificuldade da mudança de hábitos de mobilidade no sentido da sustentabilidade.
O pressuposto da inadequação de horários do transporte público e a insegurança são as principais razões alegadas pelos entrevistados para virem de carro. Os jovens são os que mais se deslocam em transporte coletivo.

1

Promoção dos transportes públicos no RIR

Os resultados de uma sondagem aleatória realizada a 20 festivaleiros, no recinto do Rock in Rio (RIR) Lisboa, sobre o modo de deslocação preferencial e as razões de opção pelo transporte público ou  transporte individual, revelam que 60% dos entrevistados se deslocaram de carro até ao recinto do RIR.
Segundo eles, a maior dificuldade sentida é a falta de flexibilidade dos horários e a limitação de localidades abrangidas pelos percursos existentes em transporte público até ao recinto. A segunda razão  evocada é a falta de segurança dos transportes públicos, devido à reduzida vigilância existente.

Luciano Santos, gerente de loja de uma cadeia do ramo da restauração presente no recinto, afirmou que “como trabalho muito e tenho de me deslocar para diferentes pontos do país, acaba por ser mais prático usar o carro”. Também Paulo Peixoto, morador de Sintra, disse que “usar o carro além de ser mais cómodo, ainda facilita a locomoção a qualquer momento”.

Apesar das tentativas por parte da organização do evento para que sejam preferencialmente utilizados os transportes públicos, nomeadamente através do estabelecimento de parcerias com o Metro de Lisboa, Carris e Fertagus, com a criação de packs e descontos na bilhética, a “resistência” em utilizar o transporte público ainda é muita. Na verdade, das entrevistas ficou patente, desde logo, a falta de interesse da população em adquirir informação relativa aos transportes.

Ainda assim, a população mais jovem (e também a mais consciente das questões relacionadas com o ambiente e sustentabilidade), é aquela que utiliza mais os transportes públicos. Atualmente, as alterações climáticas e, em particular, a preocupação em reduzir a emissão dos gases com efeito de estufa, tem despertado o interesse e a sensibilidade das gerações mais novas para os problemas vindouros, fazendo com que se sintam mais responsáveis e também influentes no que respeita o futuro na Terra.

Utilizando ou não a rede de transportes públicos, é consensual para os visitantes do RIR que os transportes públicos são uma forma de deslocação mais sustentável.

 

Alunos envolvidos no projeto: Catarina Neto; Lisa Figueiras; Joshua Santos

Data: 20.05.2016

Partilha esta reportagem em