O Centro Veterinário do Jardim Zoológico de Lisboa

O centro veterinário foi inaugurado em 2008, emprega cerca de 13 pessoas e é considerado um dos melhores da europa. No último ano tratou vários animais, sendo que os problemas mais comuns são traumatismos relacionados com quedas. Neste estabelecimento pode encontrar-se uma sala de tratamentos, uma farmácia, a sala de imagiologia, 2 blocos operatórios, um centro de investigação e a zona de recobro/quarentena/internamento.


Bloco operatório para animais de pequeno porte.

Na sala de tratamentos são administradas vacinas e feitos alguns tratamentos mais “ligeiros”, assim como algumas consultas. Esta sala inclui seu interior, a sala de imagiologia e a farmácia. A imagiologia está equipada com uma máquina de raio-x portátil e a farmácia armazena todos os medicamentos administrados nos animais.

Um dos blocos operatórios destina-se a animais de pequeno porte e o outro a animais de grande porte onde até existe uma grua para o seu transporte. No entanto, muitas vezes os animais são tratados nas próprias instalações. Todos os procedimentos cirúrgicos são gravados para mais tarde serem utilizados como material de ensino.

Na zona de recobro/quarentena/internamento os animais estão divididos em aves, primatas, carnívoros e repteis. Existem alguns cuidados específicos a ter, por exemplo os répteis após algum tempo nestas instalações necessitam de luzes UV que vão suprimir a necessidade de luz solar. No caso dos primatas e necessário mais proteção por parte do tratador/veterinário pois a transmissão de doenças passa-se com maior facilidade devido as parecenças entre as nossas espécies. Comum a todas enfermarias, é feito um enriquecimento ambiental com os animais porque, segundo a tratadora Cláudia Correia “um animal stressado tem mais dificuldades/ demora mais tempo a curar-se” então promove-se um bem-estar animal que irá diminuir o tempo de quarentena dos animais.

 

Alunos envolvidos no projeto: Andreia Coelho; Rita Reis; Beatriz Jesus; Bruno de Sousa; Afonso Abreu

Data: 15.03.2019

Partilha esta reportagem em