Má Gestão de Resíduos

Este problema acarreta várias consequências, destacando-se a acidificação dos solos, pelas águas da chuva que contactam com o lixo, a contaminação das águas subterrâneas e a libertação de gases com efeito de estufa, devido à decomposição de alguns resíduos.


As imagens mostram uma lixeira ilegal próxima de onde vivo – Varziela. Não é muito grande comparativamente a outras existentes em grandes aglomerados populacionais, ainda assim o problema é exatamente o mesmo: má gestão de resíduos.

Os dois principais tipos de materiais presentes em lixeiras são os plásticos e os vidros, os quais demoram centenas de anos a degradar-se e podiam ter sido reutilizados, se fossem reciclados. O vidro é 100% reciclável. As borrachas (pneus, por exemplo) também demoram centenas de anos a degradar-se e podem provocar incêndios florestais.

A Terra é um sistema fechado, pelo que as trocas de matéria com o exterior são desprezáveis. Daqui resultam duas inconveniências: os recursos naturais são finitos e os resíduos acumuláveis. Para manter um equilíbrio que siga o conceito de Desenvolvimento Sustentável é necessária uma gestão eficiente de recursos e resíduos, o que não se verifica nas lixeiras.

A solução para este problema passa, por um lado, pelo poder governamental, mas maioritariamente pelas nossas atitudes. Afinal somos nós os responsáveis pela acumulação de lixos em locais inapropriados, o que não faz sentido, já que existem contentores próximos de nós e empresas como a Inova que asseguram a recolha gratuita e reciclagem de monstros domésticos e resíduos orgânicos.

 

Alunos envolvidos no projeto: Tomás Pinto

Escola: Escola Secundária Lima-de-Faria

Data: 12.06.2018

Partilha esta reportagem em