Figos e vespas, juntos na sobrevivência

Figos e vespas, juntos na sobrevivência

Lembra-se daquele último figo delicioso que saboreou? Pois bem, debaixo da doçura desse e muitos outros figos há um ciclo de vida algo temível para quem aprecia estes frutos. Uma pista? Envolve vespas. Muitas vespas!
Este conhecido fruto, que na verdade é um pseudofruto (não se forma a partir do ovário, mas de diferentes partes de uma ou mais flores), é bastante consumido, no entanto, o que muita gente não sabe, é que para ficarem com aquela cor tão viva e sabor inigualável passam por um processo de polinização com vespas. Sendo que estas acabam por ficar dentro do pseudofruto. Sim! Existem vespas mortas que ficam dentro dos figos durante a polinização! Figos comestíveis têm pelo menos uma vespa morta dentro deles. Porém, não é possível ver o corpo do inseto inteiro dentro do fruto porque, quando ele morre, uma enzima especial transforma a carcaça em proteína. Por outras palavras, o figo “come” a vespa e transforma-a numa parte de si. Inclusive, alguns agricultores compram sacos do inseto para controlar a quantidade de insetos que cada planta “come”.
A relação figo-vespa apenas existe porque ambos não são bons reprodutores. Como já foi referido antes, o figo é um pseudofruto formado por inflorescência, ou seja, é uma flor invertida. Por esta mesma razão, os insetos polinizadores não conseguem alcançar o pólen. Sem os polinizadores seria impossível a polinização e, como tal, a figueira estaria incapacitada de dar frutos ou sementes. No entanto, e felizmente, existem as vespas. Sem este processo de polinização, tanto as figueiras como as vespas, não se poderiam reproduzir.
Mas afinal o que é isso de polinização?
De um modo geral, a polinização das flores é consequência da busca de alimento pelos animais. Neste caso, a relação figo-vespa é algo mais complexa. Sendo que, o figo é o único substrato em que as vespas põe os seus ovos. Uma vez dentro do figo, os descendentes da vespa “fundadora” colocam o ferrão debaixo do estilete para depositar o ovo. Enquanto isto, a “fundadora” espalha o pólen que trouxe do figo onde nasceu, fecundando as flores femininas e garantindo a produção de frutos e sementes e, consequentemente, a sobrevivência das figueiras. Tendo terminado a polinização, o figo começa a amadurecer e a mudar de cor.

Figos & vespas

Fig.1 Ramo de um tipo de figueira silvestre (Ficus enormis) com um figo verde e outro maduro.
Fig.2 Vespa do figo (Pegoscapus sp.) a entrar num figo (Ficus luschnathiana).
Fig.3 Vespas a depositar os seus ovos e a polinizar as flores da figueira (Ficus luschnathiana), dentro do figo.
Fig.4 Vespas fêmeas a emergir de flores femininas e a coletar o pólen nas flores masculinas de Ficus enormes.

 

Uma vez alcançada a maturidade, as vespas fêmeas deixam o fruto do figo no qual elas se criaram, e saem à procura de figueiras para polinizar. Devido à sua curta expetativa de vida e a longa jornada para encontrar uma árvore, apenas algumas vespas conseguem polinizar uma figueira. As fêmeas reconhecem uma figueira pronta para a polinização pelo sinal químico que as árvores libertam. Para alcançar a flor, a vespa precisa de entrar pelo poro do fruto e alcançar a sua cavidade. Estas vespas são chamadas de “vespas do figo” por serem as únicas capazes de polinizarem o fruto. São da família dos agaonídeos.
Para terminar, não se deixe afetar caso tenha feito esta pequena descoberta. Apesar de puder considerar esta relação de simbiose algo repugnante e talvez soturna, lembre-se que ela é necessária para a sobrevivência de ambas as espécies e para que este ciclo da cadeia alimentar não termine.

Susana Silva 12ºA AEDAH

Bibliografia

http://cmq.esalq.usp.br/wiki/lib/exe/fetch.php?media=biometria:r-tutor:figueiredo_al1995.pdf [consultado em 23-02-2016]

http://observador.pt/2015/04/09/segredo-os-figos-escondem/ [consultado em 23-02-2016]

http://www.ehow.com.br/polinizacao-figueiras-sobre_22879/ [consultado em 23-02-2016]

Alunos envolvidos no projeto: Susana Silva

Data: 28/02/16

Partilha esta reportagem em