Entrudo gerador de poluição

O entrudo, popularmente designado Carnaval, celebra-se na pré-quaresma a nível mundial.Nesta esta época festiva, em que os desfiles são o ponto alvo, vários são os foliões que saem à rua para conviver e aproveitar a música tradicional. Contudo, nesta época também muito elevada é a poluição ambiental e sonora.


Tanto durante o dia como no decorrer da noite existe música elevada e lixo pelas ruas do mundo. Por um lado, existem pessoas a divertir-se, mas tem de se considerar os limites desse divertimento, ver nas ruas beatas, cartão, copos de plástico e até mesmo tecidos, acaba por ultrapassar os limites do razoável.

Um pouco da tradição do Carnaval

O Carnaval surgiu na Antiguidade por povos como os egípcios, hebreus, gregos e romanos e passou por várias evoluções até chegar ao Entrudo dos nossos dias, porém a poluição não é um dos temas principais apesar de ser um aspeto bastante notável durante estes dias.

Confrontando a população com este problema muitos são os que respondem “é Carnaval, é época de divertimento e não de preocupações ambientais” e poucos os que afirmam “apesar de uma ser uma época festiva não existe desculpa para a existência de poluição”.

Um dos grandes problemas é o facto que depois da época passar ninguém limpe o que aconteceu, provocando muitas vezes outros tipos de poluição como a aquática, devido ao lixo arrastado para o mar, a atmosférica e a dos solos. Gera-se assim um grande problema ambiental que não é devidamente respeitado. A sociedade tem de garantir que o divertimento

 não implica o bem-estar das gerações futuras, que não prejudica o ambiente, que não destrua ainda mais a Terra. São 5 dias de folia, mas são 5 dias em que o consumo excessivo está também presente e que um descuido enorme é notável. Seja por que razão for, pensar que um ecoponto ou um caixote do lixo está demasiado longe da diversão não é correto. As ruas estão prevenidas contra a poluição, será assim tão complicado a sociedade deixar o divertimento por 5 segundos para por o copo da bebida no lixo, colocar a beata no cinzeiro em vez de ser para

o chão? A população é instruída para fazer o correto e saber as consequências de o não fazer, será que não consegue pensar que ao não depositar o lixo no sitio correto, terá implicações no mundo? Existe uma pergunta a ser esclarecida, será que divertimento é sinónimo de uma destruição ambiental?

Pensando que nos dias a seguir a todo este movimento, os trabalhadores das câmaras municipais vão diminuir a poluição feita, apanhado o lixo e pô-lo onde deveria ter sido posto no inicio, mesmo assim não é possível que seja eliminado na sua totalidade, podem

retirar uma grande parte, mas uma parte maior, nesse momento, já se estende pelos oceanos, já cobre as florestas e já navega no ar em que respiramos.

O Carnaval é uma tradição, a sociedade não pode deixar que uma parte da nossa história seja o motivo para um pior mundo.

 

Alunos envolvidos no projeto: Jéssica Coutinho

Escola: Externato Dom Fuas Roupinho

Data: 15.02.2018

Partilha esta reportagem em