Entrevista à Vereadora Do Ambiente “Não Há Planeta B”

No âmbito da “Semana da Floresta”, os nossos repórteres realizaram uma entrevista à Dr.ª Sílvia Costa, Vereadora do Ambiente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim.

JRA Ema CastroComo é que o pelouro que dirige envolve as escolas do concelho nos projetos ambientais?
Vereadora do Ambiente – Muito bem, essa pergunta é muito interessante.  Nós acreditamos que, ao trabalharmos com os nossos alunos, estamos a fazer com que, no futuro, esses, que hoje são alunos, sejam adultos ativos na sociedade e, portanto, ao apostar agora na Educação Ambiental destes jovens, estaremos a promover uma melhor sociedade no futuro. Por isso, sempre que temos oportunidade, nós gostamos de envolver as escolas em todas as iniciativas, quer seja nas ações de plantação que temos desenvolvido, quer seja nas limpezas de praia ou na implementação do projeto Geração+, que é um projeto que abrange a generalidade de todos os agrupamentos do nosso concelho, desenvolvido em parceria com a LIPOR, para sensibilizar para a gestão dos resíduos nos estabelecimentos de ensino. É um projeto já com muitos anos, com um sucesso enorme, e que nós gostamos de manter e continuar a dar vitalidade.
Temos um plano de Educação Ambiental, que é divulgado e publicado todos os anos, que gostamos de desenvolver com as escolas. Sempre que temos alguma iniciativa mais prática, em que as escolas podem sair do seu ambiente normal e natural do dia a dia, que é a escola, e virem para a cidade participar connosco, nós fazemos isso. Nestas ações mais comuns que vos transmiti, como a plantação de árvores e ações de limpeza, nomeadamente das praias, tentamos sempre que vocês, alunos, sejam parte ativa deste processo.
FGNotícias Joana Santos – A Escola Dr. Flávio Gonçalves está a desenvolver um Plano de Ação Ambiental para melhorar os espaços verdes da nossa escola. Como é que a Câmara Municipal poderá colaborar?
Vereadora do Ambiente – Como vocês sabem, a vossa escola está num processo de requalificação, agora já mais acelerado. O facto da escola estar nesta confusão inerente às obras, não ajuda muito a termos ali um espaço organizado, mas podemos, de certa forma, melhorar. Acho que era importante perceber (e isso eu vou fazer) se, no âmbito da empreitada, está prevista a intervenção nos espaços verdes. Porque se efetivamente isto estiver previsto, não faz muito sentido estarmos a fazer agora uma grande intervenção, investirmos muitos recursos, se depois ele vai ser sujeito a toda uma requalificação ambiental. Podemos, desde já, fazer alguma intervenção para melhorar o aspeto atual. Nada que exija muita infraestrutura, muitos materiais, mas trabalharmos ali um bocadinho para melhorar o aspeto desses canteiros, para que os alunos possam participar também nessa mudança.
Da nossa parte, podem ter, para todas estas situações, o apoio da câmara, com a equipa do nosso serviço de espaços verdes.
Há sempre algumas espécies que podemos disponibilizar para plantar, para fazer uns cortes do prado ou da relva, que já está muito grande, e promovermos ali a substituição de um ou outro exemplar que possa já não estar em bom estado.
FGNotícias Joana Santos – Para terminar, qual é a mensagem que nos deixa para sensibilizar toda a comunidade educativa em relação às questões ambientais?
Vereadora do Ambiente – A minha mensagem começa com uma frase que é muito conhecida “Não há planeta B”. De facto, não temos outro planeta. O mais importante de tudo é termos a noção que as nossas ações do dia-a-dia têm impacto no futuro daqueles que vão viver no nosso planeta a seguir, os nossos filhos, os nossos netos.
E se há algo que nós devemos promover é esta colaboração ou esta partilha intergeracional. O que é que isto quer dizer? Quer dizer que eu vou ter um conjunto de ações que se preocupam não só com o satisfazer das minhas necessidades, (dizendo isto por outras palavras) é de certa forma garantir que aquilo que eu quero fazer para satisfazer as necessidades do meu dia a dia, não põe em causa a possibilidade dos meus filhos e dos meus netos as poderem satisfazer também. Quando nós consumimos água sem um mínimo cuidado, quando temos um consumo de água exagerado, quando nós produzimos resíduos de uma forma insustentável, quando nós vamos às compras, se não tivermos algum cuidado a fazê-las, só o simples facto de tirarmos as compras das embalagens já produzimos uma quantidade enorme de resíduos. Se nós não tivermos atenção nestas ações do dia-a-dia, estamos a comprometer o futuro dos outros que virão. E por acaso, eu acho que era algo muito triste, as gerações futuras terem o futuro hipotecado, porque nós não fomos capazes de pensar um bocadinho no planeta que vamos deixar para eles. Assim, gostava de deixar esta mensagem de responsabilidade para com as gerações futuras, mas também uma mensagem de responsabilidade para com o presente. Não é só no futuro… futuro… futuro.
Estas questões ambientais têm cada vez mais impacto imediato sobre tudo aquilo que nós fomos fazendo durante estes anos, ao longo da evolução. É verdade que estão a ter impacto e nós estamos a sentir isso diretamente. É por isso que hoje se fala tanto das alterações climáticas, porque estamos a sentir o efeito dessas alterações. Se os nossos avós e os nossos pais dizem que tinham um inverno muito rigoroso e muito bem marcado, um outono muito percetível, uma primavera e um verão, hoje em dia, nós podemos ter dias de um calor enorme, mas no dia seguinte ou na semana seguinte, temos dias de frio e de chuva. Quer isto dizer que aquele equilíbrio que existia entre as estações do ano foi-se perdendo, porque os fatores climáticos foram-se alterando, resultado de toda a degradação que vai acontecendo, fruto da atividade humana. Fundamentalmente, é disso que estamos a falar.
Que os jovens tenham esta responsabilidade de sentirem que estão a dar o máximo, estão a dar o seu contributo, estão de consciência tranquila e que estão a ter uma atitude correta e responsável para com o presente e também para com o futuro.
FGNotícias Afonso Amorim – Muito obrigada pelo tempo que nos concedeu e pelas informações que nos deu. Esperamos contar sempre com o apoio da Sra. Vereadora nas atividades da nossa escola que contribuam para a defesa de um ambiente mais saudável.
Vereadora do Ambiente – Terão, com certeza, sempre o meu apoio e, acima de tudo, queria dar-vos os parabéns por estarem envolvidos desta maneira nas questões ambientais, no projeto ambiental da vossa escola.

Ana Clara Rebelo 5º A, Ema Castro 5º A, Afonso Amorim 9º A, Joana Santos 9º A