Desperdício Alimentar

O desperdício alimentar é um assunto atual mas, apesar de bastante discutido, ainda está longe de ser solucionado. Além de ser ignorado por certas pessoas, é, sobretudo, aos olhos das crianças incompreensível, dada a complexidade e a gravidade da situação. Duas alunas do 8º ano, da Escola EB 2,3 Frei Caetano Brandão, debruçaram-se sobre este problema na cantina escolar.


Na nossa escola, o desperdício das refeições tem vindo a ser divulgado. Já foram tomadas medidas para a identificação dos principais determinantes, para o desenvolvimento de estratégias que conduzam à redução do mesmo. Na cantina escolar, a comida não consumida é pesada e a partir daí é calculado o valor médio diário do desperdício alimentar. O número de refeições confecionadas é calculado tendo em conta as refeições compradas. Assim, se os alunos marcam e não consomem essas refeições serão excedentárias.Gráfico desperdício alimentar - Escola Frei Caetano Brandão

No mês de novembro, a média diária de desperdício alimentar foi de 15Kg/dia. Em janeiro, já havia diminuído 2Kg/dia passando o valor a 13Kg/dia. Em fevereiro, o valor voltou a diminuir, passando a uma média de 9Kg/dia. Durante os meses de março e de abril o valor esteve muito próximo de 10Kg/dia, verificando-se uma ligeira subida. No mês de dezembro a contabilidade não foi realizada devido às férias escolares.

Para além daquelas, foram desenvolvidas outras medidas para minimizar a situação: pedido de desmarcação de senhas, atempadamente, sempre que haja algum imprevisto; divulgação dos valores acima referidos (gráfico mensal divulgado na cantina) e a implicação dos Encarregados de Educação, via associação de pais.

Como não há a autorização do Ministério da Educação para a doação de sobras, surge, inevitavelmente, um problema de desperdício. Aprendemos que devemos ser solidários e, no entanto, a comida, em perfeitas condições de consumo, vai para o lixo.DSC00167

O Projeto Refood recolhe a comida sobrante em cantinas e restaurantes, distribuindo-a, depois, por famílias carenciadas. Gostaríamos de ver esta solução alargada às cantinas escolares.

Quanto tempo será necessário para o Ministério da Educação rever a sua posição?

 

Alunos envolvidos no projeto: Jael Cohen (8º1); Renata Costa (8º1)

Data: 09.05.2016

Partilha esta reportagem em