Costa Alentejana: Um Fu(tu)ro Negro?

Costa Alentejana: Um Fu(tu)ro Negro?

A extração do petróleo gera impactos ambientais e sociais tanto diretamente quanto indiretamente. Esta atividade tem
repercussões no ambiente, uma vez que estamos a extrair um recurso natural. Por isso, cabe a análise cuidadosa do que é mais vantajoso tanto para o ambiente quanto para a sociedade, sob a ótica da sustentabilidade, ambientalmente corretas e economicamente viáveis, resguardando as gerações futuras.

A interferência desordenada do homem no ambiente tem vindo cada vez mais a criar consequências prejudiciais para as espécies em vias de extinção. A formação da indústria petrolífera a atividade petrolífera configurou um novo ciclo económico. Apesar de o petróleo ser um grande fornecedor de energia, que é distribuído para quase todas as partes do mundo através de navios petroleiros e oleodutos é um dos combustíveis fosseis mais poluentes, sendo muito prejudicial para o ambiente.

13988265_10154477917596458_8583377831044127499_o

Petróleo, não obrigado! Foto:MG

Desde setembro de 2016 a Galp tem vindo a realçar o plano das perfurações na costa alentejana, indicando que a perfuração do poço vai ser no largo de Sines. Esta notícia tem vindo a preocupar a população pois a sua extração nas águas profundas vai agravar o problema da sustentabilidade ambiental, aumentando a contaminação, a poluição (ar,água e solo) e destruindo a paisagem da costa alentejana.

A preservação do ambiente e das espécies existentes nestas áreas do país (como lontra, fuinha, escalo-do-mira, barbo-do-sul, falcão-peregrino, gralha-de- bico-vermelho, cegonha-branca) são essenciais para a permanência do equilíbrio ecológico e da qualidade da vida humana. Cumpre ressalvar que a sustentabilidade está ligada ao desenvolvimento tecnológico e económico sem agressão ambiental, usando os recursos naturais de maneira inteligente, possibilitando a manutenção dos rios, lagos, oceanos, florestas, matas e garantindo a existência de vida no futuro.

Os impactes surgem a diferentes níveis e podem vir a atingir os diversos ecossistemas como a destruição solo, água, atmosfera, da flora, ou da fauna, ou das atividades humanas como turismo, pesca ou atividades culturais.

O derrame de petróleo pode ocorrer em navios petroleiros, nas plataformas de extração e nos oleodutos de distribuição, causando danos enormes ao meio ambiente. Num desastre ambiental desse tipo são lançadas no mar quantidades enormes do produto, formando manchas que são espalhadas pelas correntes marítimas e pelas correntes de ar. A poluição causada pelo petróleo é muito tóxicapara os amimais marinhos e para as aves migratórias, além de prejudicar indiretamente a população que vive no litoral das áreas atingidas. No entanto, existem vários organismos importantes na sociedade atual que trabalham no sentido da educação e na consciencialização da população relativamente aos problemas das espécies e do ambiente e que devem servir como instrumentos orientadores nas nossas ações do dia-a-dia.

Somos os únicos que podemos alterar o mal que fizemos anteriormente ao nosso amigo ambiente, arranjando alternativas ecológicas, modernas e eficazes que não prejudiquem e ponham em causa o equilíbrio e a qualidade de vida. !

Alunos envolvidos no projeto: Camila Guerreiro

Data: 31/01/17

Partilha esta reportagem em