As Termas de S. Jorge

As Termas de S. Jorge, banhadas pelo rio Uíma, situam-se em Caldas de S. Jorge, no concelho de Santa Maria da Feira. Recebem diariamente cerca de 530 pessoas que procuram os seus tratamentos inovadores, devido às propriedades medicinais das águas, que foram descobertas pelo Padre Inácio da Cunha em 1787.


Existe a crença de que o turismo termal se direciona unicamente para a comunidade sénior, no entanto, esta atividade é benéfica para todas as faixas etárias, como esclarece a Relações Públicas das Termas, Dra. Lídia Melo, declarando que o público-alvo destas termas é variado e integra todas as faixas etárias. Esta informação é ainda suportada pelos dados da Associação das Termas de Portugal, onde é apresentado um aumento em 50% do turismo termal comparado com o ano de 2015.

Fig. 1 Um dos exemplos dos tratamentos termais que os utentes podem usufruir.

Fig. 1 Um dos exemplos dos tratamentos termais que os utentes podem usufruir.

As termas, possuidoras de uma água inigualável, ricas em enxofre e de diferentes temperaturas, permitem tratar e prevenir certas doenças de caracter respiratório, cutâneo, músculo-esquelético, de má circulação sanguínea, nervoso e locomotivo; bem como de tratamentos de estética e de bem-estar; tornando-se assim uma alternativa à medicina convencional.
Em 2016, conquistaram um prémio inovador, devido ao cuidado e à aposta contínua que as Termas têm vindo a fazer ao criar uma parte do tratamento das vidas respiratórias exclusivamente para crianças, personalizando os kits de tratamento, através de máscaras decoradas com animais e adaptação dos boletins de tratamento com um puzzle, para as distrair durante o mesmo.

Fig. 2 Dra. Lídia Melo, a Relações Públicas das Termas de S. Jorge, a esclarecer os tratamentos das Vias Respiratórias.

Fig. 2 Dra. Lídia Melo, a Relações Públicas das Termas de S. Jorge, a esclarecer os tratamentos das Vias Respiratórias.

Apesar do esforço das Termas de S. Jorge em se destacarem pelas suas técnicas e equipamentos termais, não existe a mesma preocupação em reaproveitar o recurso mineral que está nas bases de todos os seus tratamentos, como assim foi esclarecido na visita às instalações das mesmas.

Apesar dos benefícios desta terapia para a saúde humana, o turismo termal também apresenta uma sobre-exploração do recurso água, visto que cada banho gasta em média 500 litros.

 

Alunos envolvidos no projeto: Afonso Miguel Mota Neves Ana Catarina Silva Alves Ana Daniela Araújo da Silva Ana Mafalda Moreira Ana Margarida Azevedo André Campos Ângela Lourenço Carolina Lopes de Mira Cátia Carolina Ferreira dos Santos Diogo André Moura Pinto Hugo Jorge Candeias Lestre Inês Isabel Nunes da Costa Joana Sofia S. Fontes João Pedro Nunes Soares Mafalda de Brito Amendoeira Mafalda Gonçalves Mariana Lopes Marina Sofia Alves Silva Petra Ribeiro Rita Gomes Simões Rui Miguel Carvalho Sara Rodrigues Sónia Silva

Data: 06.12.2016

Partilha esta reportagem em