Agualva-Cacém: A “cidade-dormitório”

Nas “cidades dormitório” as atividades existentes não são suficientes para empregar e fixar a sua população ativa, o que leva a maioria dos moradores a deslocarem-se diariamente para a capital, ou para outra cidade mais populosa de forma a que aí possam exercer a sua profissão (movimentos pendulares).


Tal como a maioria das cidades da linha de Sintra, Agualva-Cacém desempenha a função de “cidade dormitório” em que os seus moradores trabalham maioritariamente na zona de Lisboa.

 

Agualva-Cacém

As causas e os problemas das “cidades dormitório”

As “cidades dormitório” têm origem no êxodo rural. A migração exagerada levou ao surgimento destas cidades de modo a abrigar os migrantes. Devido ao rápido crescimento e à falta de planeamento, tais cidades geralmente apresentam sérios problemas como o desordenamento, congestionamento e a poluição dos recursos hídricos, entre outros.

Agualva-Cacém

Outro fator que contribui para que a nossa cidade tenha estatuto de “cidade dormitório” é a falta e a pouca qualidade de espaços de lazer, os moradores optam por ocupar os seus tempos livres noutras localidades.

 

Alunos envolvidos no projeto: Leonardo Morais e Rodrigo Castro

Escola: Escola Secundária de Ferreira Dias

Data: 03.04.2018

Partilha esta reportagem em