Missão JRA Rock in Rio 2016 | Impressões

 Fim-de-Semana 1 – 18, 19, 20 e 21 de Maio


rir006Inês Português do 1ºano do Curso Profissional Técnico de Receção, que frequenta o Colégio Nossa Senhora da Graça, em Vila Nova de Milfontes, participou na Missão JRA (Jovens Repórteres para o Ambiente) no Rock in Rio 2016, através da ABAE (Associação da Bandeira Azul da Europa), que decorreu entre 18 e 21 de maio de 2016, no Parque da Bela Vista, Lisboa. 

O Festival Rock in Rio nasceu no Rio de Janeiro, em janeiro de 1985, com o empresário Roberto Medina. Dois meses depois, a 15 de março desse ano, o Brasil sairia da Ditadura. Na 3ª edição, de janeiro de 2001, precedendo a realização do 1º Fórum Social Mundial (realizado no Brasil, entre 25 e 30 de janeiro de 2001) Roberto Medina trás ao festival a preocupação social, ou seja a de contribuir para a construção de um mundo melhor. Em 2004, o evento internacionaliza-se com a realização do espetáculo em Lisboa.

Este evento musical, com um histórico de doze anos em Portugal, trouxe assim, desde a sua origem, uma preocupação e uma marca social muita assumida, para além da sua vertente de entretenimento e revelação musical e artística. A ideia foi mobilizar os festivaleiros e, de modo particular os jovens, para a ideia de construção de “Um Mundo Melhor”.

Neste sentido, a preocupação de mostrar e incutir uma consciência ambiental crítica e ativa, cívica, é uma das vertentes sociais do projeto, desenvolvido em Lisboa, através de uma parceria com a ABAE e que está a levar, anualmente, vários jovens das escolas portuguesas ao Rock in Rio de Lisboa.

Das vivências experimentadas neste evento espetacular, eis algumas anotações do Diário de uma JRA no Rock in Rio 2016, em Lisboa.

18 maio, quarta-feira.

Dora Palma, Coordenadora do projecto de sustentabilidade do Rock in Rio.

Dora Palma, Coordenadora do projecto de sustentabilidade do Rock in Rio.

Após a chegada a Lisboa dos JRA, decorreram as apresentações, a criação de grupos de trabalho e as primeiras entrevistas.

O primeiro tema abordado foi o impacto do evento nos moradores do Bairro da Flamenga, Freguesia de Marvila. Para o efeito tive a oportunidade de entrevistar a Dr.ª Dora Palma, bastante experiente no festival como Coordenadora do Projeto de Sustentabilidade do festival Rock in Rio. O dia terminou com um passeio por Lisboa: Rossio – Terreiro do Paço – Bairro alto.

19 maio, quinta-feira

rir003Abertura do recinto ao público. Durante a manhã, para os JRA, decorreu a redação de artigos referentes às entrevistas realizadas, no dia anterior; e a preparação das entrevistas a realizar durante toda a tarde. O tema em destaque era o prémio “Atitude Sustentável”, para distinguir o stand/fornecedor ou loja que melhor desempenhasse atitudes e comportamentos sustentáveis.

Durante o dia Reporter, à noite a oportunidade de me divertir. E como…!? A fazer “Slide”; assistindo ao concerto deBruce Springsteen, the Boss, e ainda…, dançar no palco da “Yorn”! Fabuloso.

20 maio, sexta-feira

JRA entrevistam Vítor Fonseca, no backstage da Street Dance

JRA entrevistam Vítor Fonseca, no backstage da Street Dance

Durante a manhã realizou-se as fotorreportagens e os artigos relativamente aos temas estudados anteriormente. A tarde serviu para acrescentar e selecionar informação que faltava, explorando os vários planos possíveis, de forma a complementar as reportagens.

Da parte lúdica e recreativa deste dia de festival destaco a Roda Gigante pois foi um dos elementos que muito me marcou, assim como a entrevista a Vítor Fonseca,”Cifrão”. Por sua vez, o Mika e os Queen+Adam Lambert, também nos deram um “show” espetacular.

21 de maio, sábado

Grupo JRA com os monitores no Rock in Rio 2016.

Grupo JRA com os monitores no Rock in Rio 2016.

Finalização de todos os trabalhos, realizados durante a Missão JRA no Rock in Rio 2016. E, após o almoço, vieram as despedidas – Foi o que me custou mais! No final, todos nós, os participantes na Missão, recebemos um certificado de participação pela ABAE.

Esta Missão JRA no Rock in Rio 2016 permitiu-me desenvolver capacidades fundamentais para a vida em sociedade, nomeadamente a convivência e o trabalho cooperativo, de equipa.

Neste projeto foi também importante perceber o trabalho de um repórter e ter a oportunidade de conhecer famosos e entidades importantíssimas para a concretização de um dos maiores festivais do mundo, com um projeto social e ambiental de grande qualidade e exemplar.

Todos os artigos realizados pelos participantes estão publicamos em: https://jra.abae.pt/plataforma/

A Jovem Repórter do Ambiente RIR 2016, muito Feliz,
Inês Português 

Fim-de-Semana 2 – 27, 28 e 29 de Maio


3 dias passaram, e não há palavras para descrever o que até agora foi vivido. Tem sido uma experiência incrível, inspiradora e enriquecedora, não só pela causa em si, mas pelas pessoas e todo o ambiente há volta do projeto.

Chegamos na sexta-feira, no dia 27 de Maio, durante a manhã, e partimos para o local de hospedagem, o Colégio de Valsassina, que se localiza a menos de 5 minutos do Parque da Bela Vista, onde o festival de música Rock In Rio Lisboa ocorre. Após uma rápida sessão de “ice breaking”, dividimo-nos em quatro grupos, e escolhemos os temas: nós acabámos por escolher o tema “Resíduos”. E assim, por volta das quatro da tarde, partimos para o recinto, e para a reportagem. E qual a primeira decisão deste grupo? Ir “reportar” para o slide, uma atividade de grande excitação para dois dos elementos deste grupo, porque o mais puto tinha medo… Aconselhável para os viciados em adrenalina, a viagem pelo slide foi descrita como “altamente!”, e era necessário repetir, agora com o auxílio de uma Go Pro. Após o término das reportagems, que incluiram uma entrevista com a banda Cave Story no backstage do Palco Vodafone, com o Chef Kiko, e com a VP Executiva do RIR, Roberta Medina, era hora de concertos, com desapontamento em relação a Korn, que abandonaram o seu concerto devido a problemas técnicos, e alguma felicidade para Hollywood Vampires, que tocaram alguns clássicos do rock.

Dia 28 de Maio seguia-se, e após um acordar ligeiramente dificil, iniciou-se o trabalho nos primeiros artigos, que correu bastante bem, terminado até mais cedo do que esperado, que ainda deu tempo para descansar antes de voltar para o recinto, que acabaria por ter uma afluência muito maior face a sexta-feira. Após mais uma intensa sessão de trabalho, preparamos o segundo dia de concertos, com um belo concerto dos Dama, em que dançamos, cantamos e colocamos os nossos telemóveis bem no alto ao som de uma banda claramente emocionada com um público incrivel para com eles, e um concerto dos Maroon 5, que deixou membros deste grupo impressionados com os solos de guitarra do Adam Levine.

Mas o melhor estava reservado para o último dia: o grande concerto do Avicii. Foi incrível, e serviu para coroar e celebrar 3 dias de grande emoção, de grande alegria, de enorme trabalho, e acima de tudo, de grandes companhias, que tornou esta experiência totalmente incrível.

Grupo 1: Duarte Belo; Joana Pedro; Miguel Rocha 

Como JRA a oportunidade de poder fazer uma produção na área que mais gosto num evento desta dimensão. Ao nível de grupo surpreendeu bastante pela positiva o espírito presente nos JRA, assim como, a afinidade que conseguimos ter no espaço de três dias.

Rafael Cascalho

A Missão JRA no Rock in Rio Lisboa, mais uma vez, surpreendeu e mostrou como é possível trabalhar em conjunto e no mesmo sentido. Para além da convivência entre os jovens repórteres, monitores e organização notei um espírito de entreajuda muito forte, assim como, o respeito pelo trabalho e dedicação de cada um. Em particular, as técnicas de jornalismo que pude desenvolver e melhorar, assim como, a capacidade de solucionar contratempos ao longo da investigação.

 Termino mais uma missão com a vontade de me aventurar em outra experiência!

Filipa Murta

Sendo esta a minha primeira experiência neste projeto, fique surpreendida com o alcance que os JRA conseguem ter junto das várias entidades e organismos. Serviu para enriquecer o meu conhecimento pessoal acerca da realização de reportagens, artigos e entrevistas. Foi notável o bom ambiente de grupo, porque todos conseguimos criar uma união entre todos.

Ana Vanessa Pimenta

Nestes quatro dias de missão, a minha segunda missão junto com a ABAE, gostei muito de ir para o recinto e entrevistar as pessoas que estavam a divertir-se e que respondiam às nossas questões. Consegui ganhar experiência e amizades de uma maneira fácil pois o trabalho em grupo facilita tudo. Escrevi artigos tanto sobre mobilidade como uma entrevista ao Paulo Vintém, o que me deixa contente. A diversão juntamente com o trabalho de grupo e de reportagem ajudou a uma, dizendo, unificação do grupo. Agradeço a oportunidade, estou confiante de que dei o meu melhor para fazer um bom trabalho e espero voltar.

Paulo Cardoso

Esta foi a primeira vez que participei numa missão, considero ter sido uma experiência bastante agradável e produtiva, ao longo destes quatro dias de missão, consegui aliar o jornalismo com a diversão, o convívio e companheirismo, tive a oportunidade de estar em contacto com diversos meios de comunicação, personalidades e sobretudo novas experiências, entre algumas das vastas entrevistas que fiz, destaco a oportunidade de conversar com a Editora Cultural da Sic, Graça Pereira, e com o músico Paulo vintém, pois de facto é também interessante perceber de que modo estas personalidades vêm o meio ambiente. Agradeço imenso a oportunidade que me deram de conseguir viver esta experiência tão boa e proveitosa, acredito ter feito um bom trabalho e espero ter a oportunidade de voltar quer seja nesta missão como em outra.  

Sara Jesus

Esta foi a primeira vez que participei numa missão dos JRA, e considero que foi uma experiência muito positiva. Nestes 4 dias de trabalho intenso na realização de reportagens houve também espaço para o convívio do grupo. Verifiquei uma grande entreajuda entre os vários jovens repórteres, quer no recinto do festival, quer durante o tempo de escrita. Tivemos oportunidade de entrevistar, por exemplo, a Editora Cultural da Sic, Graça Costa Pereira, de perceber de que forma este canal televisivo abordava as iniciativas de sustentabilidade a decorrer no Rock in Rio. Esta missão permitiu-me adquirir diversos conhecimentos ao nível do jornalismo e deu-me a oportunidade de encarar o dia-a-dia de um repórter profissional.

Rita Marques Pinto

Elucubrando a oportunidade única vivida durante esta missão consideramos que foi uma experiência arduamente gratificante. Desgastante mas muito recompensadora. Tencionamos retornar a integrar em projetos semelhantes.

O projeto está num caminho positivo, o ano passado não havia nutella, colheres nem extensões. Foi um deleite reparar na atenção dada a pequenos pormenores como estes.

Vivencia-se um ambiente pândego mesmo quando adágio. As  recordações  destes momentos fugazes  serão perenes nas nossas memórias. É ígneo o que sentimos cá dentro, esta saudade antecipada dos dia por aqui passados.´

Nostalgia antecipada durante o aguardo do dia em que não dilapidaremos a oportunidade de voltar a integrar com arroubo fleumático uma experiência  tão sublime.

Rematando, o holístico do nosso lirismo é de veras frugal e incólume de tão inócuo, relatando a simples veneta de um grupo de jovens a abduzirem-se da monotonia adstrita às suas vidas aproveitando a coligação com a sustentabilidade.

Grupo 4: Madalena Xavier; Pedro Gonçalves; Rafael Simões; Susana Rita