Category

Missao Gois

2017 Gois Impressões

By | Missao Gois

 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
Impressões | Thoughts

.

3 of April – Day 1

In Monday, all Young Reporters for the Environment, both Portuguese and foreigners, met up in Lisbon before they left to Góis.

When we arrived, we briefly saw the village and we all liked it because Góis is a beautiful and quite place surrounded by nature.  What´s more, the local people seem very friendly, generous and hospitable.

Before and after dinner we all did the ice-breaking session when we had the chance to meet each other and learn interesting things about their lifestyle. 

In the evening, we had a night tour through Góis with our tour guide and we learned about the history of the village, architecture and also some important characters of Góis’ history.

4 of April – Day 2

In our second day in Góis we visited a hamlet called Loural, a place where anyone can live in harmony with nature. We really liked Loural because the only permanent inhabitant of the village organizes many activities to attract people (yoga etc.)

After that, we interviewed the vice president of Góis and we were informed about the economical and environmental issues of the village.Late in the evening, we worked in our groups to write our article and also edit our photos. Although it was a creative activity we got anxious and a bit stressed because we had to finish our work in a limited time.

The day ended up with a concert of traditional Portuguese music called Fado which for the foreigners was a new musical experience.

5 of April – Day 3

In Wednesday, we firstly visited the Trout nursery where Mr. Humberto showed us his job and also his place. There, we learned a lot about Rainbow Trout and Portuguese fish called Fário and how these fish are treated.

We also visited Peneda inland beach, a blue flagged beach. We really liked it because of the natural and picturesque view.  We also took a lot of selfies there.

At the afternoon, we visited Quinta dos Maias, a place with a very rich flora and an interesting Fauna. There we can find both native species such as Folhado but also some non-native species that were placed there for ornamental purposes. It is also a unique project due to the fact that they aim to provide better didactic opportunities for handicapped people.  Next we had the chance to meet José Cerdeira, a traditional cork masks handcrafter. Such job is very important in the conservation of our customs, so, at the same time we also had an opportunity to communicate with the past.

We finished our day interviewing a member of Góis Moto Clube, a very important organization here, not only due to their always rising popularity but also because of their environmental choices that regard the natural resources.

6 of April – Day 4

The day started with our visit at the Eco-Museum of Schist Traditions. We got informed about a variety of native animals’ species and also for local plants of Aigra Nova village where the museum is located. There, we got educated about its history, traditional machines and we had the opportunity to buy some local hand-made products.

After lunch at the school residence, where we had a traditional Portuguese plate (Bacalhau à Brás), we visited the Moto Club and we interviewed the national champion Diogo Ventura.
Then we went in a small village named Povorais, which has only two inhabitants, and it´s mostly known by its Icnofossils.

Group 1: Adriana Hencekova, Guy Sod-Moriah, João Louro, Marios Daniel, Merve Bakyuz, Sofia Castanho

4 de Abril

No dia quatro de abril de dois mil e dezassete, o grupo Jovens Repórteres do Ambiente, começou a sua missão fazendo uma visita guiada à Vila de Góis, com uma das técnicas da Câmara Municipal de Góis, Vanessa Serra.

Entrevistámos uma das habitantes da vila, de nacionalidade alemã e de nome Latiffa. Posto isto, esta demonstrou-se disponível e confortável para nos falar um pouco do seu dia-a-dia e principalmente o porquê de se ter instalado em Góis, e não em outro sítio pacato.

No decorrer do nosso passeio atravessámos a Ponte Real, a mais principal de Góis, cujo responsável pela sua construção permanece ainda num mistério.

Ao percorrermos o Parque do Cerejal, deparámo-nos com alguns tipos de árvores centenárias, como por exemplo a Nogueira Preta, o Plátano, a Cerejeira e a Oliveira.

Terminado o passeio junto à beira do rio, encontrámos um pequeno mercado ao ar livre. O grupo do JRA abordou e entrevistou alguns dos habitantes e comerciantes, e constatou que existe uma grande admiração por parte da população, quer a nível do funcionamento do mercado, o facto de não se pagar o aluguer do espaço. Estes frisaram ainda a diversidade de espaços verdes, a tranquilidade, a segurança e harmonia do espaço em redor e a fantástica cumplicidade entre todos os que vivem e visitam Góis.

Depois de uma boa refeição, visitámos o complexo Loural Village, onde ficámos a conhecer os princípios de sustentabilidade desta Eco-Village. Nesta aldeia pratica-se a permacultura, possuem uma Fito-Etar, realizam processos de compostagem, possuem plantações de variadíssimos alimentos e utilizam a energia solar, tudo de forma a minimizar os gastos e desperdícios da vila, exceptuando o facto de ser necessário o fornecimento de electricidade por parte da rede pública.

Ainda no decorrer da tarde, foi feita uma entrevista ao Vice-Presidente da Câmara Municipal de Góis, que conseguiu cativar os JRA respondendo a diversas questões que lhe foram colocadas, sempre mostrando um enorme carinho e preocupação com o município e também uma enorme ambição no que diz respeito ao crescimento económico e demográfico de Góis.

Opinião: Tendo em conta os sítios que tivemos a oportunidade de visitar e as pessoas com quem conversámos, consideramos que foi um dia bastante enriquecedor. Ficamos a conhecer os “4 cantos” desta pequena vila, sendo assim mais fácil procurar possíveis focos de interesse para reportagens

5 de abril

A cinco de abril de dois mil e dezassete, fomos recebidos pelo Sr. Humberto Garcia, pioneiro de criação de trutas, próximo do rio Sótão (afluente do rio Ceira). Este habitante inspirou-se num passeio que realizou à Serra da Estrela (Manteigas), onde a parir daí decidiu criar o seu próprio projeto. O entrevistado manifestou “não ser fácil”.

Para desfrutarmos da essência do Município de Góis dirigimo-nos à praia fluvial da Peneda onde nos deparámos com uma deslumbrante paisagem. Esta praia obedece aos 40 critérios necessários para a obtenção da Bandeira Azul. Obtivemos a informação de que esta bandeira é dificilmente obtida em praias fluviais, pois estas águas estão vulneráveis a despejos e a concentrações de poluentes que aumentam especialmente no verão devido ao caudal da água diminuir.

Durante a tarde visitámos a Quinta dos Maias, que nos foi apresentada pelo Biólogo José Abrantes, na qual observámos Espécies Arbóreas Autóctones.

Acabámos a tarde a visitar o artesão José Cerdeira, conhecido pelas suas máscaras de Cortiça alusivas ao “Entrudo”.

6 de abril

No passado dia 6 de abril de 2017, o dia foi iniciado com a visita ao Eco Museu Tradição do Xisto. Houve a necessidade de dividir o grupo em dois para uma maior facilidade no aproveitamento do espaço observado (núcleo sede e núcleo da interpretação ambiental).

O Museu foi construído em torno de duas vertentes, uma ambiental (Território Rede Natural 2000 da Serra da Lousã) e outra cultural (falar da antiga cultura da população e comunidade).

Visitámos o núcleo sede, constituído por espaços pequenos como a aldeia para não desvitalizar a escala desta, fazendo um reaproveitamento da mesma. Este espaço está dividido em 3 zonas: vivência dos serranos, projetos para interpretação das aldeias do xisto e a flora. No passado existiam 80 habitantes nesta zona, mas atualmente apenas 3 e tivemos a sorte de falar com um deles. O Sr. Manel, antigo professor e entendido de abelhas, faz parte de uma família muito conhecida na comunidade, os Claros. É natural de Aigra Velha tendo-se casado com uma habitante de Aigra Nova, onde vive atualmente.

Conhecemos o núcleo de Interpretação Ambiental que nos foi apresentado pelo Geólogo Luíz Lopes. Aqui tivemos a oportunidade de conhecer a flora e a fauna da Serra da Lousã.

Mais tarde dirigimo-nos ao Moto Clube de Góis, onde nos foi possível entrevistar o Campeão Nacional do Enduro, Diogo Ventura e observamos os trofeus do Moto Clube de Góis.

Para concluir o dia dirigimo-nos aos Penedos de Góis / Povoarais, a aldeia mais próxima da Crista da Peneda de Góis (feita de quartzito). Existe uma grande história por trás desta aldeia que conta a vida de uma família que encontrou fósseis, os quais não sabiam o que eram, apenas designados por figuras nas rochas, sendo mais tarde catalogados como fósseis de Bilobites e Trilobites pelo arqueólogo Nery Delgado. Infelizmente não nos foi possível visitar a casa onde estão expostos os fósseis preservados ao longo dos anos.

7 de abril

No dia 07 de abril de 2017 durante a manhã dirigimo-nos à Central Hidroelétrica de Monte Redondo em Góis. Aqui foi possível observar o seu funcionamento que perdura há 1 século. O Sr. David da Silva, funcionário há 6 anos, explicou-nos o seu mecanismo e funcionamento desde antigamente (fornecer energia a Góis) até agora (fornecer energia à EDP).

Mais tarde visitámos a Mina de Volfrâmio, que após um percurso acidentado, foi nos dado a conhecer a sua história pelo senhor Jorge Lucas.

Durante a tarde realizamos e melhoramos os trabalhos terminando o dia no Restaurante “Casa Ti Maria”.

Group 2: Beatriz Ribeiro, Jéssica Coutinho, Mafalda Gonçalves e Ruben de Matos

4 de abril

Pontos fortes salientados pelo grupo:

Uma das atividades mais apreciadas pelo grupo foi a visita a Loural Village, uma antiga aldeia de xisto recuperada que funciona como turismo rural. O motivo, que levou a que esta atividade fosse uma das mais atrativas, foi o facto de a alimentação ser baseada em produtos cultivados nos campos da aldeia o que o torna numa vila sustentável, captando a atenção de qualquer visitante, pois não é muito comum haver tanta preocupação em cuidar da natureza. A existência de atividades como Yoga acaba por ajudar no sentido de atrair visitantes locais ou estrangeiros.

Outro ponto que quisemos focar como grupo, são as praias fluviais que ajudam a embelezar a Vila de Góis. É impressionante como as pessoas em conjunto com a Câmara Municipal e Juntas de Freguesia, preservam estes espaços. As águas transparentes revelam a pureza do espaço, os jardins que rodeiam o rio e todas as estruturas, como bancos de jardim, ajudam a complementar um espaço tão requisitado.

Para terminar, achámos por bem, falar das visitas guiadas por Góis, pois permitiram enriquecer o nosso conhecimento relativamente a monumentos, praças e outros lugares que ajudaram a escrever a história desta Vila. Para nós jovens, é uma forma de nos fazer refletir e aceitar que há outras formas de ver a vida e que o mais importante é sentirmo-nos bem no espaço em que vivemos.

Sugestões para melhorar a Vila de Góis

Daquilo que tivemos oportunidade de ver, achámos que a feira deveria ser uma prioridade do município, no sentido que este deveria ser expandido ou até construídas estruturas que permitam um espaço mais amplo, de forma, a que mais visitantes pudessem usufruir da mesma.

Pensamos que a ausência de jovens pode influenciar o crescimento de Góis tanto a nível económico, social e noutras áreas como a educação.

5 de abril

Pontos fortes salientados pelo grupo:

No dia de hoje, como grupo, chegámos à conclusão de que todo o processo teve os seus pontos positivos, ou seja, cada uma das atividades realizadas teve impacto em cada um de nós.

A visita ao Sr. Humberto, criador de trutas, foi uma forma de ficarmos a saber que ainda existem pessoas que independentemente da experiência ou falta dela, não devem ter medo de arriscar e seguir as suas intuições, principalmente quando se trata de desenvolver o local onde vivemos. Este homem levou a que o município tivesse interesse em apostar neste tipo de cultura.

A praia fluvial que visitámos hoje, permitiu que mais uma vez tivéssemos a certeza de que este município se preocupa com os espaços verdes e com as águas que tornam esses lugares mais refrescantes e atraentes, principalmente nas alturas balneares. Por outro lado, foi uma forma dos nossos fotógrafos abrirem os seus horizontes e focarem-se em cada pormenor da natureza. Foi uma oportunidade de trabalharmos o nosso lado de exploradores.

A Quinta dos Maias também teve aspetos a salientar, pois permitiu-nos conhecer todo o tipo de espécies que existem nesta área e muitas delas existem apenas naquele espaço; foi, para os nossos fotógrafos, mais uma vez, um ponto a focar para mais tarde mostrar a outras pessoas que a natureza e a floresta não é só mais um espaço.

A última atividade do dia, foi um “abre-olhos” no sentido em que devemos acreditar cada vez mais que a idade não é uma barreira. O Sr. José, homem de 83 anos, mostrou que nunca é tarde para apostarmos em novas áreas, aceitar novos desafios e revelou um enorme talento para artes manuais, através das suas máscaras de cortiça, que rapidamente se mostraram um sucesso junto de quem o visita. Achámos essencial referir esta atividade, pois mostra que poderemos reutilizar materiais de uma forma correta, criativa e rentável.

 

 

6 de abril

Pontos fortes salientados pelo grupo:

O Góis Moto Clube foi algo positivo referenciado pelo grupo devido à influência que tem na região tanto a nível económico como social, especialmente, com a concentração Motard que acontece em agosto e com o cartaz dos concertos que torna tudo mais apelativo e que atrai público Português e Internacional.

Outro ponto referenciado foi a visita À Aldeia de Povorais, pois estivemos a 900m de altitude e foi possível observar uma magnífica vista, que permitiu satisfazer a vontade do fotógrafo da natureza do nosso grupo deixando-o maravilhado.

A exposição no Núcleo de Interpretação Ambiental também foi positiva pois o ambiente era bastante calmo e tivemos a oportunidade de interagir de perto com dois burros.

Ao fim do dia, foi possível assistir aos ensaios da banda filarmónica da Associação Educativa e Recreativa de Góis dando assim para relaxar, após um longo e cansativo dia, proporcionando também algumas risotas por parte do grupo dos jovens repórteres para o ambiente devido a alguns sons feitos pela banda e seus estimados instrumentos. 

7 de abril

Pontos fortes a salientar pelo grupo:

Na Central Hidroelétrica foi possível relaxar ao som da queda de água e soltar algumas gargalhadas ao observar a nossa “adorada” guia autóctone a caminhar sobre uma ponte com más condições de forma bastante corajosa.

Com o trilho feito até há Mina de Volfrâmio foi possível obter uma vista esplêndida, apesar do percurso exigente, adorado por alguns.

Sugestões a melhorar:

Alguns elementos, terem achado o trilho algo perigoso devido à inexistência de segurança e por alguns elementos do grupo sofrerem de vertigens,

Também foi pena não ter sido possível a captação de fotos no interior da Central Hidroelétrica e as suas máquinas.

André Campos, Daniela Gonçalves, Frederico Santos e Pedro Lázaro

GoisDayOne or

How did I get two pieces of meat at lunch…

6:27 – I just woke up … that´s really great.

6:32 – I´m considering myself that I´m gonna fall asleep again

6:45 – Still trying, huh.

6:50 – I am giving up, I have to wait untill the guys wake up, I thougt it can´t be that long right?

7:30 – Knowledge that I was wrong is very painfull

7:32 – I am quietly (i hope it was) trying to go from our room with GoPro to make some timelapse of sunrise.

7:38 – I discovered that the main door was locked, so I am pretending that I was going to the toilet so I don´t gonna look like an idiot in front of everyone. NOTE -> I don´t know why I did it, because no one could saw me, beacouse THEY WERE SLEEPING.

7:39 – Going back to the bed.

8:15 – FINALLY – Some girls are up, and even Adrika.

8:20 – I am going out to make vlog intro for day three. NOTE ->  The sun is pretty high so NO shots of sunrise, maybe next day.

9:00 – Breakfest – GREAT

___________________________________________________________________________

10:45 – We are in the town where the market takes place, there are nice and friendly people here.

10:53 – I have seen the man and woman with the same kind of dog that we have, I am missing home little bit, but friends here are helping me 🙂

11:14 – This is a good one. The guide-lady is showing us a tree and she is really amazed by the tree which has 100 years. Pff in Slovakia we´ve got like 500 year old trees. Strange Góis…

11:20 – We are at the market, I see lots of food. I really like what see.

___________________________________________________________________________

something about 12:30 – We are going for lunch, it´s pretty good because I am hungry

12:32 – I have to go to the toilet, so everyone will be soon at the lunch. I´m guessing I am gonna be the last one.

12:35 – I guessed right, I am the last one. The girls in front of me are talking about Harry Potter, it is really nice to see “We are all the same, like …. everyone likes Harry Potter”

12:39 – The sweat lady in the kitchen gave me TWO pieces of meat, it was really tasty mmm.

13:01 – I told to Demetris that I had two pieces of meat … he is not talking to me. I am thinking about I am gonna ask his friend Mario how to repair our friendship with Demetris.

13:04 – I told that to Mario …

13:05 – He is staring at me …

13:06 – He is still staring at me …

13:07 – Mario is not talking with me either.

13:08 – “You get it good Matej, you really did”

___________________________________________________________________________

15:27- We have just arrived to the Loural Village, I must say the nature is really beautiful here.

15:46 – The guys from Cyprus are trying to teach me some Greek words. It is not easy, It looks like I am really dump.

16:15 – We are going bac k it was a very short trip.

___________________________________________________________________________

18:00 – We have meeting with vice president of Gois, it is going down like this -> They are talking in Portugese for ten minutes and then they translate all the conversation in 2 minutes. It looks like Portugese is really funny language, very long.

___________________________________________________________________________

19:00 – We came back to our place, and start our group work.

19:56 – DINNER TIME, but there was a fish but never mind.

20:05 – Me and Demetris are talking to the kind of-crazy Italian guy, and he is telling us how to make a real pasta and he told us that italian food is the art. Perfetto.

20:36 – We are in our room, and its really great, there are beds, and one window, and even electricity plug in. It is good to know I am gonna sleep in some place which I can really name room.

___________________________________________________________________________

22:38 – My work is done, and Wi-Fi it´s working. So bye bye, and see you tommorow.

GoisDayTwo or

Nutella day

8:00 – Oh, I get up at normal time, it is really good and I´m feeling pretty fine after the last evening shower.

8:13 – Me and Mario have a problem, Demetris and Gianmarco are not getting up. I am thiking that the best way to wake them up is to try to say something in hebrew language (Guy language). NOTE -> I said something like “Chabre Chabre”, it doesn´t work.

8:30 – We are going for breakfast, everybody is crazy because there is a NUTELLA! So … you are probably thinking that I have nutella, but I didn´t. Shocking right?!

___________________________________________________________________________

9:43 – We are in the area of the fish pond and there is an old man telling us something about it. The kind of problem is that I can´t understand the damm thing because he is speaking portuguese.

9:46 – Oh the Sofia told me he has builded this place, it´s amazing.

10:13 – I discovered he is 83 years old, I am amazed WOW!

___________________________________________________________________________

11:10 – We have just arrived to the river-beach. It is really beautiful place.

11:23 – The turkish girls are trying to teach us the national dance of theirs, it´s hard. We both look like idiots, me and Adrika.  NOTE ->  I really love the guys here, they are great.

___________________________________________________________________________

12:20 – We are back at our place to take a lunch.

12:45 – The lunch was tasty. NOTE ->  Aďka gives me some of the meat of hers, i like her.

___________________________________________________________________________

12:50 – I am in the room, looking out of the window and I did saw the orange tree. IT IS REALLY NICE. In Slovakia we only have just boring trees like apple tree, pear tree, cherry tree.

12:55 – Mario stepped to the room, and I have told him my fellings about the tree. He just looked at me, jump from the window and grab some oranges for me. It was really something, it was my first orange right from the tree.

13:31 – I am just laying down on my bad, and I am absolutely sure that I am not gonna fall asleep. NOTE ->  Mario thinks it too. We are leaving at the 14:00

___________________________________________________________________________

14:07 – We were mistaken! We did fall asleep and the bisquit guy came to wake us up.

14:09 – We are slowly getting up, and the bisquit guy is still staring at us. I told him that he can go, and he don´t have to be afraid that we are going to sleep again.

___________________________________________________________________________

15:17 – Demetris almost got punched by a woman. NOTE -> He almost stepped on the plant. NOTE2 -> Then she stepped on it!

___________________________________________________________________________

XY:XY – I HAVE SOMETHING LIKE I DON´T KNOW, WHAT WE WERE DOING

___________________________________________________________________________

21:17 – Now they told me we are going to interview someone.  NOTE ->  Oh noooooo!

GoisDaythree

07:00 We woke up with Sophie`s alarm and I questioned life. I asked myself that on I really obliged to wake up so early.

08:15 I just get out of bed but I didn`t wake up mentally. I get sick of getting up so early.

08:30 BREAKFAST TIME… Somebody finished Nutella but there are still chocolate milks existing and it makes me calm.

09:00 We are waiting for the buses arrive.

09:15 We are still waiting….

09:30 IT FINALLY ARRIVED…

10:10 We are at Eco-Museum. It is so similar with the Góis because there are lots of green places. A lady is giving information to us but in Portuguese. And us (poor foreigners) are understanding nothing… Sophie and Carolina are translating for us but I want people to speak English while they are giving information.

10:50 We are wondering around with our group, an old man is giving information about the museum. I am showing my musician talent and I am playing accordion. I totally played very well(!)

11:40 It is time for shopping. I bought something as well such as everybody.

12.30 we are turning back for lunch. I am so afraid of Merve to eat me .That`s why it is going to be awesome to eat something.

13:00 LUNCH TIME…

“Bacalhau à Brás” I think it was the best meal I have ever tasted in here.

13:40 I need to get some sleep, Merve needs as well. Merve and I are getting some rest in the room. We still have some time.

14:10 We didn`t have time to sleep L they said that bus has arrived. But it WASN`T…

14:35 Bus arrived. I hope we are going to somewhere away from here. I need to get rest.

14:45 We arrived to “MOTO-CLUB” And of course they are talking in Portuguese. I am trying to understand the shapes on the floor …

14:55 I am still trying to understand the shapes on the floor….

15.05 We are going somewhere else with the bus.

15:35 We came to some place similar with a village. Guy is walking on rock and there are lots of fossil in them.

16:00 We are wondering around. There are lots of insect and sunlight which love me so much that they don`t stop following me even a second.

16:30 We are going back. I AM TIRED…

17:00 We came back. We have a free time for 1 hour. And we are planning to get some sleep with Merve.

20:00 OH MY GOD!!! We are sleeping for 3 hours instead of 1 hour. We lost the group work. My friends are going to kill me!!!

20:05 TIME FOR DINNER

I have my own salad and I am so happy for this. Also I have excellent group friends. They didn’t get mad at me. I love them..

21:30 Everybody finished their work. Just Gianmarco is lost. We need his help…

Matej Majerský

2017 | Missão Gois Fotografias

By | Missao Gois
 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
Fotografias | Photos

Com o Apoio

2017 | Missão JRA Gois- Temas de reportagem

By | Missao Gois
 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
Temas de reportagem | Reporting issues


Município de Góis

Góis é uma vila portuguesa no Distrito de Coimbra, na região Centro, com cerca de 2 100 habitantes, sendo sede de um município com 263,3 km² de área e 4 260 habitantes, subdividido em 4 freguesias.
O rio, principal elo de ligação de todo o Concelho, dá aos visitantes e veraneantes uma paisagem deslumbrante, desde a terras altas da freguesia do Colmeal até ao Cerro da Candosa (freguesia de Vila Nova do Ceira), local onde se despede do Concelho de Góis para dar entrada no da Lousã.
As praias fluviais, servidas pela bela paisagem circundante e pelas límpidas águas do Ceira são frequentadas, na época de Verão, por milhares de turistas e de residentes.
Mas, além do rio, também a montanha está presente, permitindo passeios, tanto de automóvel como a pé, ou mesmo de bicicleta ou moto para os amantes da natureza.
É habitual que ao deslocar-se pelas terras montanhosas do Concelho, tomar contacto com animais selvagens, como o javali e a raposa, além de todo o tipo de aves, próprias desta região. Mais informações aqui.

Góis Municipality

Góis is a Portuguese town in the District of Coimbra, in the Central region, with about 2,100 inhabitants. It is the capital of a municipality with 263.3 km ² of area and 4 260 inhabitants, subdivided into 4 parishes.
The river, the main connecting link of the entire county, gives visitors and vacationers a breathtaking landscape, from the highlands of the Colmeal parish to Cerro da Candosa (parish of Vila Nova do Ceira), where they leave the Municipality of Góis to enter the Lousã.
The river beaches, served by the beautiful surrounding landscape and the clear waters of Ceira are frequented by thousands of tourists and residents in the summer season.
But, besides the river, the mountain is also present, allowing trips, both by car and on foot, or even by bike or motorbike for nature lovers.
It is customary to take contact with wild animals, such as the wild boar and the fox, as well as all kinds of birds, typical of this region when traveling through the mountainous areas of the county.

Centro de Referência da Memória Goiense
Este é um equipamento municipal que tem como missão proporcionar o acesso ao património cultural do concelho de Góis, fomentando a preservação e valorização da memória colectiva das comunidades. Neste espaço e a partir dele o Município de Góis pretende enaltecer, proteger e dar a conhecer a riqueza cultural da região. Assim, na exposição inaugural do equipamento, através de um breve percurso pela história do concelho de Góis, revisitamos sítios e monumentos, relembramos lugares e pessoas que ao longo dos tempos, têm contribuído fortemente para a construção da memória goiense. Mais informações aqui.

Goian Memory Reference Center
This is a municipal equipment whose mission is to provide access to the cultural heritage of the municipality of Góis, fostering the preservation and enhancement of the collective memory of its communities. In this space and from there the Municipality of Góis intends to enhance, protect and make known the cultural richness of the region. Thus, in the inaugural exhibition of the equipment, through a brief tour of the history of the municipality of Góis, we revisit sites and monuments, we remember places and people that throughout the ages, have contributed strongly to the construction of the Goian memory.

Loural Village
O Loural é uma eco-vila sustentável atraindo aqueles que procuram uma experiência íntima com a natureza e um desejo de expansão e transformação humana.
Alcançamos a nossa visão possibilitando a participação em workshops, retiros e vivendo e trabalhando juntos na natureza, de forma a promover o crescimento pessoal e um modo de vida sustentável.
A aldeia servirá como exemplo de uma comunidade em pequena escala, maioritariamente autossuficiente, onde a sustentabilidade e o cuidado com a terra são praticados. Os moradores de Loural viverão numa comunidade cercada e apoiada pela natureza, em paz. O Loural na sua totalidade como aldeia, projeto, comunidade vai influenciar positivamente as pessoas a fazer mudanças duradouras em relação à sua perspectiva sobre a vida. Mais informações aqui.

Loural Village
The Loural is a sustainable eco-village attracting those who seek an intimate experience with nature and a desire for human expansion and transformation.
We have achieved our vision by enabling participation in workshops, retreats and living and working together in nature to promote personal growth and a sustainable way of life.
The village will serve as an example of a small-scale community, mostly self-sufficient, where sustainability and care for the land are practiced. The residents of Loural will live in a community surrounded and supported by nature in peace. Loural as a village, project, community will positively influence people to make lasting changes to their perspective on life.

Góis Moto Clube
Fundado em Fevereiro de 1991 por um grupo de amigos e adeptos do motociclismo, o Góis Moto Clube (GMC) é uma associação sem fins lucrativos que se dedica à realização de atividades desportivas, nomeadamente no âmbito motorizado, culturais e turísticas.
Devido ao esforço realizado ao longo dos anos, o GMC conseguiu reunir as condições básicas para o desenvolvimento das diversas atividades. Inaugurada em 5 de dezembro de 2015, a Sede Social própria, foi inaugurada o que permitirá dar resposta ao elevado número de ações a desenvolver e, sobretudo, à necessidade de afastamento do amadorismo, contribuindo para garantir a desejada qualidade final dos eventos.
Como é habitual, no 3º fim-de-semana de agosto, as motos rumam à vila de Góis para aquele que é o maior encontro entre os motores e a natureza no seu estado puro onde o Rio Ceira assume o papel de anfitrião. Entre os dias 17 e 20 de agosto, o Parque Natural de Mototurismo, um palco privilegiado onde amigos, famílias, entusiastas, cidadãos anónimos e turistas se encontram e reencontram, abre as portas para receber todos aqueles que, com a sua presença, têm engrandecido o nome de Góis. Mais informações aqui.

Góis Motorcycle Club
Founded in February 1991 by a group of friends and supporters of motorcycling, Góis Moto Clube (GMC) is a non-profit association dedicated to sports activities, namely motorized, cultural and tourism.
Due to the effort made over the years, the GMC was able to gather the basic conditions for the development of the various activities. On December 5, 2015, its own headquarters was inaugurated, which will allow to respond to the high number of actions to be developed and, above all, the need to move away from amateurism, helping to guarantee the desired final quality of the events.
As usual, on the 3rd weekend of August, motorcycles will head to the town of Góis for what is the greatest meeting between motors and nature in its pure state where Rio Ceira plays host. Between 17 and 20 August, the Natural Park of Mototurismo, a privileged stage where friends, families, enthusiasts, anonymous citizens and tourists meet and meet again, opens the doors to welcome all those who, through their presence, have magnified the name of Góis.

Viveiro/Monteira de Trutas Arco-Íris
A criação deste parque é um investimento de quase 92 mil euros, comparticipado em 60% pelo PRODER, e tem como objetivos a dinamização e valorização do património natural, e a revitalização do Rio Sótão que confere grandes potencialidades turísticas da aldeia da Monteira, freguesia de Vila Nova do Ceira.
O parque terá como temática principal a flora e fauna endógena, com ênfase na produção de truta fario, através da implementação de 5 tanques, para repovoamento do rio.
Um ciclo de vida desta espécie que vai mais longe, num enquadramento ecológico-social das tradições locais, nomeadamente a ligação da população aos rios promovendo-se assim uma imagem de marca do concelho.
Uma associação de várias particularidades num espaço que se potencializa para o desenvolvimento local, que acolhe dimensões pedagógicas, culturais, desportivas e económicas.

Trout nursery
The creation of this park is an investment of almost 92.000€, 60% shared by PRODER, and has the objectives of boosting and enhancing the natural heritage, and the revitalization of the Sotão River which gives great tourist potential of the village of Monteira, parish of Vila Nova do Ceira.
The park will have as main theme the endogenous flora and fauna, with emphasis on the production of fario trout, through the implementation of 5 tanks, in order to repopulate the river.
A life cycle of this species that goes further, within an ecological-social framework of local traditions, namely the connection of the population to the rivers, thus promoting a brand image of the county.
An association of several particularities in a space that enhances local development, which embraces pedagogical, cultural, sporting and economic dimensions.

Praia Fluvial da Peneda
A praia fluvial da Peneda, localizada na vila, freguesia e concelho de Góis, encontra-se situada nas margens do Rio Ceira, cuja pureza das suas águas proporcionam aos muitos turistas e visitantes irresistíveis e refrescantes banhos. Possui uma vasta área relvada e uma ilha de areia no meio do rio, apresenta também um imponente enquadramento paisagístico, dominado por altas e majestosas serras. Para além da beleza natural, esta praia possui igualmente um conjunto de ótimas infraestruturas de apoio (esplanada sobre o rio, acesso a deficientes, instalações sanitárias, duche, parque de merendas, aluguer de canoas), bem como, uma vista favorecida para a ponte real de Góis e rápido acesso ao centro histórico da Vila de Góis. Mais informações aqui.

Peneda River Beach
The Peneda river beach, located in the village, parish and municipality of Góis, is situated on the banks of the Ceira River, whose purity of waters provide many tourists and visitors irresistible and refreshing baths. It has a large grassy area and an island of sand in the middle of the river, also presents an imposing landscape, dominated by high and majestic mountain ranges. In addition to the natural beauty, this beach also has a set of excellent support infrastructures (terrace on the river, access for the disabled, sanitary facilities, shower, picnic park, canoe rental) as well as a favored view of the royal bridge of Góis and quick access to the historic center of the village of Góis.

Quinta dos Maias
Casa-mãe do maior souto da Vila de Góis. O antigo solar da Quinta dos Maias, atualmente transformado em Casa do Artista, foi objeto de profundas obras de recuperação. O espaço ocupado pelas antigas cavalariças foi transformado em moderno auditório. As lojas do piso térreo aproveitadas para galeria de arte; os quartos, no piso superior, como residência temporária de artistas; o sótão adaptado a atelier artístico. Disponibiliza igualmente um percurso interpretativo que pretende mostrar a diversidade do rio Ceira, percorrendo as galerias ripícolas, mostrando o estado de conservação das mesmas. Mais informações aqui.

Quinta dos Maias
The old manor of Quinta dos Maias, currently transformed into Casa do Artista, was the object of deep recovery works. The space occupied by the old stables was transformed into a modern auditorium. The shops on the ground floor were used for art gallery; The rooms on the upper floor as temporary residence of artists; The attic adapted to an art studio. It also offers an interpretative route that intends to show the diversity of the river Ceira, going through the riparian galleries, showing the state of conservation of the same.

José Cerdeira – Máscaras Tradicionais
José Cerdeira foi pedreiro e artesão a meio tempo. Faz máscaras apenas há onze anos. E fá-lo porque não quis deixar morrer a tradição. As máscaras têm como matéria-prima para a sua produção a cortiça, extraída dos sobreiros ou aproveitada de velhos cortiços de abelhas. Representam figuras faciais medonhas e diabólicas. Mais informações aqui.

José Cerdeira
José Cerdeira was a bricklayer and craftsman. He’s been making masks for eleven years. And he does it because he did not want to let tradition die. The masks have as raw material for their production, cork extracted from the oaks or taken advantage of old slums of bees. They masks represent hideous and devilish facial figures.

Eco-Museu Tradições do Xisto
Este verdadeiro Museu vivo leva-nos numa viagem incrível pela parte humana e ambiental da Serra da Lousã e das vivências e tradições destas aldeias. Na Maternidade das Árvores, pode apadrinhar uma planta e, assim, compensar a sua pegada ambiental como turista e ajudar na reflorestação da Serra da Lousã com espécies autóctones. No núcleo asinino, os burros Golias, Gaitano e Xisto esperam a sua visita e podem acompanhá-lo no seu percurso pela aldeia e sua envolvente.
Estes núcleos são animados regularmente com programas temáticos, dos quais se destacam a celebração do Entrudo Tradicional, bem como programas de animação da Rede das Aldeias do Xisto e programas de educação ambiental.
Ao nível da conservação da natureza este território é igualmente muito rico ao nível geológico, dos icnofósseis, da fauna e da flora. Mais informações aqui.

Eco-Museum –  Schist Traditions
This true living museum takes us on an incredible journey through the human and environmental part of Serra da Lousã and the experiences and traditions of these villages. In the Maternity of the Trees, you can patronize a plant and, thus, compensate your environmental footprint as a tourist and help in the reforestation of the Serra da Lousã with native species. In the nucleus asinine, the donkeys Golias, Gaitano and Schist await your visit and can accompany you in your journey through the village and its surroundings.
These nuclei are regularly animated with thematic programs, such as the celebration of Traditional Entreno, as well as animation programs of the Schist Villages Network and environmental education programs.
At the level of nature conservation this territory is also very rich at the geological level, the ichnofossis, the fauna and the flora.

Aldeia da Aigra Nova
De malha urbana simples, de construção baixa e à base de xisto, Aigra Nova divide-se em três pequenas ruas, que a atravessam.
A nascente e o clima ameno são propícios à prática agrícola e aos vastos pastos. Nesta aldeia viva há hortas, gado, burros e muitas atividades que prometem surpreender.
Inserido na rede de Aldeias do Xisto, este agrupamento de quatro aldeias do Concelho de Góis – Comareira, Aigra Nova, Aigra Velha e Pena – está integrado numa estrada panorâmica que as ligará ao Trevim, o ponto mais alto da Serra da Lousã (1204 metros de altitude), a Santo António da Neve e a outras aldeias situadas na vertente oposta da serra. É com os olhos postos no alto que se agradece a existência destas aldeias-memória e a sua recente e progressiva transformação em aldeias-futuro, a chamar para cada uma delas uma nova alma que as belíssimas pedras de xisto, por si só, não podem conter. Mais informações aqui.

Aigra Nova Village
With a simple urban mesh, low construction and schist base, Aigra Nova is divided into three small streets, which crosses it.
The spring and mild climate are conducive to agricultural practice and to vast pastures. In this lively village there are vegetable gardens, cattle, donkeys and many activities that promise to surprise.
This grouping of four villages of the Municipality of Góis – Comareira, Aigra Nova, Aigra Velha and Pena – is integrated in a panoramic road that connects them to Trevim, the highest point of the Serra da Lousã (1204 meters of altitude), Santo António da Neve and other villages located on the opposite side of the mountain range. It is with their eyes set high that we thank the existence of these memory villages and their recent and progressive transformation into future villages, to call each of them a new soul that the beautiful schist stones, by themselves, cannot contain.

Bilobites Trilobites – Penedos de Góis
Deve-se a Nery Delgado, um dos pioneiros da geologia portuguesa, o estudo exaustivo da fauna dos bilobites em Portugal, nomeadamente os da zona do Penedo de Góis, incluídos no afloramento silúrico do Buçaco (há cerca de 450 milhões de anos, um período caracterizado por um nível elevado dos oceanos), que se estende desde os Penedos de Góis até ao Luso.
Muitas placas do Penedo foram por si recolhidas e depositadas no Museu Geológico (considerado como o Museu dos Museus), no antigo Convento de nossa Senhora de Jesus, da Ordem Terceira de S. Francisco, em Lisboa, onde se encontram guardadas. Como curiosidade, uma placa de grandes dimensões, com indicação da sua origem, faz as honras de entrada do museu.
A variedade predominante na nossa zona era a “Cruziana Beirensis”.
Estes vestígios podem ser encontrados nos Penedos de Góis (1040m), escarpados, junto à Aldeia do Xisto de Pena, formando desníveis únicos, com quedas de água e ribeiras impetuosas.
É um local deslumbrante com miradouros sobre a paisagem beirã, podendo daí avistar-se a Serra da Estrela, a Serra do Açor e o Trevim (Santo António da Neve). Mais informações aqui.

 

Bilobites Trilobites – Penedos de Góis
It is due to Nery Delgado, one of the pioneers of Portuguese geology, the exhaustive study of the fauna of bilobites in Portugal, namely those in the Penedo de Góis area, included in the siliceous outcrop of Buçaco (about 450 million years ago, a period characterized by a high level of the oceans), that stretches from Penedos de Góis to Luso.
Many plaques from Penedo were collected and deposited in the Geological Museum (considered the museum of museums), in the former Convent da Nossa Senhora de Jesus, of the Third Order of St. Francis, in Lisbon, where they are stored. As a curiosity, a large plaque, with an indication of its origin, honors the entrance of the museum.
The predominant variety in our area was the “Cruziana Beirensis”.
These vestiges can be found in the Penedos de Góis (1040m), steep, near the Village Schist of Pena, forming unique gradients, with waterfalls and impetuous streams.
It is a stunning place with viewpoints over the Beira landscape, from which you can see Serra da Estrela, the Serra do Açor and Trevim (Santo António da Neve).

Mina de Volfrâmio
Pode-se considerar que o apogeu das minas foi durante a segunda guerra mundial, em que a procura do Volfrâmio era grande devido à sua utilidade como endurecedor de ligas metálicas para a construção de armas. Dai para cá a sua importância tem vindo a diminuir, porém, mais recentemente com a crise do urânio empobrecido, que estava a substituir o volfrâmio as minas ganharam novo alento.
Mas a utilidade do volfrâmio não se resume à indústria de armamento. Uma das suas utilizações mais nobres é na indústria eléctrica. Os filamentos das lâmpadas que nos iluminam são de volfrâmio. Mais informações aqui.

Wolfram Mine
It may be considered that the heyday of the mines was during World War II, where the demand for the wolfram was great due to its usefulness like hardener of metallic alloys for the construction of arms. Hence its importance has been diminishing, but more recently with the crisis of the depleted uranium, which was replacing the wolfram the mines have gained new momentum.
But the usefulness of the wolfram is not limited to the armament industry. One of its noblest uses is in the electrical industry. The filaments of the lamps that illuminate us are of wolfram.

Organização

 

2017 | Missão Internacional JRA Góis – Programa

By | Missao Gois

 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
Programa | Program
download do Programa                   
       Program download
 

3 de abril, segunda-feira 

até às 12h | chegada dos Jovens Repórteres

13h00 | Partida para Góis

16h00 | Acantonamento na ADIBER

16h00 | Sessão de Ice-Breaking

20h00 | Jantar – Cantina Residência Estudantes

21h30 | Visita noturna por Góis. Entrevista no Moto Clube Góis

4 de abril, terça-feira

10h00 | Entrevista à Srª Presidente da C. Municipal de Gois

12h30 | Almoço – Cantina Residência Estudantes

14h30 | Visita ao Loural Village

17h00 | 21º Feira do Livro de Góis

18h00 | Trabalho em grupo: realização de reportagens

20h00 | Jantar – Cantina Residência Estudantes

21h00Trabalho em grupo: realização de reportagens

5 de abril, quarta-feira

9h30 | Visita ao Viveiro/Monteira de Trutas Arco-Íris

11h00 | Visita à praia fluvial da Peneda

12h00 | Almoço – Cantina Residência Estudantes

14h30 | Visita à Quinta dos Maias (espécies arbóreas autóctones)

16h00 | Entrevista a José Cerdeira – Artesão de Máscaras Tradicionais

18h00 | Trabalho em grupo: realização de reportagens

20h00 | Jantar – Cantina Residência Estudantes

21h00Trabalho em grupo: realização de reportagens

6 de abril, quinta-feira

9h30 | Eco-Museu Tradições do Xisto

11h00 | Aldeia de Aigra Nova

12h30 | Almoço – Cantina Residência Estudantes

14h30 | Bilobites e Trilobites, visita aos Penedos de Góis/Povorais

18h00 | Trabalho em grupo: realização de reportagens

20h00 | Jantar em Góis

21h00Trabalho em grupo: realização de reportagens

7 de abril, sexta-feira

9h30 | Visita a Mina Volfrâmio de Carcavelos

11h30 | Visita a Central Hidroeléctrica

13h00 | Almoço –  Cantina Residência Estudantes

15h00 | Trabalho em grupo: realização de reportagens

20h00 | Jantar em Góis

21h00Trabalho em grupo: preparação da sessão final

8 de abril, sábado

9h30 | Preparação da conferência de imprensa

11h00 | Apresentação das conclusões da Missão: sessão no Auditório da Casa do Artista

13h00 | Almoço. Restaurante junto ao rio

14h00 | Partida para Lisboa

Monday, 3rd of April

until 12am | Young Reporters arrival

13h00 | Departure to Góis

16h00 ADIBER

18h00 |  Ice-Breaking Session

20h00 | Dinner at Cantina Residência Estudantes

21h30 | Night tour through Góis. Interview to Gois Motorcycle Club.

Tuesday, 4th of April

10h00 | Interview with the Mayor

12h30 | Lunch at Cantina Residência Estudantes

14h30 | Visit to Loural Village

17h00 | 21º Gois Book Fair

18h00 | group work: producing articles

20h00 | Dinner at Cantina Residência Estudantes

21h00 | group work: producing articles

Wednesday, 5th of April

9h30 | Visit to Viveiro/Monteira de Trutas Arco-Íris

11h00 | Visit to Peneda inland beach

12h00 | Lunch at Cantina Residência Estudantes

14h30 | Visit to Quinta dos Maias (native tree species)

16h00 | Interviewing José Cerdeira, traditional masks craftsman

18h00 | group work: producing articles

20h00 | Dinner at Cantina Residência Estudantes

21h00 | group work: producing articles

Thursday, 6th of April

9h30 |  Shale Eco-Museum

11h00 | Aigra Nova Village

12h30 | Lunch at Cantina Residência Estudantes

14h30 | Bilobites e Trilobites, visit to the Penedos de Góis/Povorais

18h00 | group work: producing articles

20h00 | Dinner at Cantina Residência Estudantes

21h00 | group work: producing articles

Friday, 7th of April

9h30 | Visit to a Wolfram Mine Carcavelos

11h30 | Visit to a Hydroelectric Plant

13h00 | Lunch at Cantina Residência Estudantes

15h00 | Group work: : preparing the presentations for next day

20h00 | Dinner in Góis 

Saturday, 8th of April

9h30 | Preparing the session

10h30 | Final session at Auditório da Casa do Artista

13h00 | Lunch

14h00 | Departure to Lisbon

 

 

Organização

 

Com o Apoio

2017 | Missão Internacional JRA Gois – Participantes

By | Missao Gois
 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
Participantes | Participants
JRA Reside em:
Sofia Castanho Aljustrel
Beatriz Matias Ribeiro Mafra
Rúben Matos Vila Franca de Xira
Frederico Manuel da Silva Santos Cascais
Carolina Gomes Lisboa
Inês Carreira Boarqueiro Nazaré
Camila Guerreiro Odemira
João Carlos Louro Abreu Amares
Inês Cardoso Matos Oliveira de Azeméis
Jéssica Coutinho Alcobaça
André Filipe Ferreira Campos Vila Verde
Daniela Barreto Gonçalves Porto de Mós
Ana Catarina Almeida Oliveira de Azeméis
Ana Mafalda Gonçalves Coimbra
Pedro Lázaro Almada
Marios Daniel Chipre
Demetris Christodoulou Chipre
Majerský Matej Eslovaquia
Adriana Hencekova Eslovaquia
Guy Sod-Moriah Israel
Gianmarco Conte Italia
Merve Bakyüz Turquia
Aslı Can Çoplu Turquia

Organização

 

2017 | Missao Internacional JRA Gois

By | Missao Gois

 

Missão Internacional JRA Gois 2017 | YRE International Mission Gois 2017
3 a 8 de abril | 3 to 8 april
A Missão

 

Esta missão terá lugar no município de Gois, a nordeste do concelho de Coimbra, numa zona conhecida pela sua biodiversidade, paisagens e por manter as práticas tradicionais.

Durante os vários dias da Missão, visitaremos vários pontos de sustentabilidade local, ligados à flora e à fauna, bem como atividades económicas com enfoque na sustentabilidade como a recuperação de aldeias antigas, eco-aldeias sustentáveis ​​e energias renováveis.

A Missão será de 3 a 8 de abril e durante esse período e ficarão na residência estudantil de Gois, onde você vai dormir e trabalhar.

A nossa partida será de Lisboa a 3 de Abril às 12h e estaremos de volta a Lisboa no dia 8 até às 20h.

Objetivos
  • Aplicar a metodologia inerente ao Programa JRA: investigação e reportagens
  • Desenvolver diversas competências, tais como: investigação, escrita, trabalho de grupo, fluência em línguas
  • Investigar boas práticas relacionadas com o desenvolvimento sustentável;
  • Conhecer o município de Góis, Aldeias do Xisto, a economia da região (turismo sustentável);
  • Detectar problemas e procurar soluções durante o processo de pesquisa;
  • Fornecer um grupo de jovens a oportunidade de se relacionarem com jovens de outros países.
Custos da atividade

A Organização assegurará a pernoita (acomodação no Albergue da Juventude) e as refeições nos dias relacionados à atividade.

O jovem repórter deve chegar a Lisboa por seus próprios meios (sozinho ou com o apoio da escola ou dos cuidadores). No caso de viajar sozinho, um elemento da ABAE irá encontrá-lo quando chegar em Lisboa. O transporte para Lisboa é da responsabilidade dos participantes; O transporte para Góis e de regresso é da responsabilidade da organização.

The Mission

 

This mission will take place in the municipality of Gois, northeast of the district of Coimbra in an area known for its biodiversity, mountain landscapes, river beaches and

During the various days of the Mission we will visit various points of local sustainability, linked to flora and fauna, as well as sustainability economic activities such as the recovery of old villages, sustainable eco-villages and renewable forms of energy and report those in various formats.

The Mission will be from the 3rd to the 8th of April and during that time you will stay in the Student Residence of Gois, where you will sleep and work.

Our departure will be from Lisbon on the 3rd of April at 12h and be back in Lisbon on the 8th at 20h. You can check the program here.

Goals:
  • Apply the methodology inherent to the YRE Program: environmental research and communication;
  • Develop diverse skills such as: research, writing, group work, fluency in foreign languages;
  • Investigate good practices related to sustainable development;
  • Know the municipality of Gois, Schist Villages, the region’s economy (sustainable tourism);
  • Detect issues and propose solutions during the research process;
  • To provide a group of young people the opportunity to exchange with young people from other countries.
Activity Costs:

The Organization will ensure the overnight stay (accommodation in the student residency) and meals on the days related to the activity.

The young reporter should arrive in Lisbon by his own means (alone or with the support of the school or the caretakers). In case of traveling alone an element of the ABAE will meet you when you arrive in Lisbon. Transportation to Lisbon is the responsibility of the participants; Transportation to Lousã and back is the responsibility of the organization.

Organização

 

Com o Apoio

X