Incêndios: pensa num minuto como uma beata altera as nossas florestas

Incêndios: pensa num minuto como uma beata altera as nossas florestas

Com o slogan Pensa num minuto, o Global Action Day pretendeu sensibilizar os jovens para reciclagem das beatas, evitando que entrem no ciclo da alimentação. Por minuto, o mercado mundial produz perto de 11 milhões de cigarros. Em Portugal, no mesmo período de tempo, sete mil beatas vão parar ao chão. Mas estas beatas não são biodegradáveis. Dependendo das condições climatéricas e do terreno, vão-se decompondo, nunca na totalidade nem sem antes o filtro libertar cerca de 4700 substâncias. Acabam por se transformar em microplásticos e é uma questão de tempo até entrarem no ciclo da água e chegarem à cadeia alimentar, não só através da agricultura, mas também através dos animais que comemos, da carne ao peixe.

A iniciativa pretendeu ainda chamar a atenção para a implicação das baetas: nos incêndios, um dos principais problemas que afeta todos os anos Portugal. Atirar beatas para o chão em espaços florestais é ilegal, mas os incêndios relacionados com cigarros causam, por ano, mais de 30.000 incêndios. Partindo destes dados os alunos foram tentar perceber a realidade de Vila Nova de Famalicão e de Santo Tirso.

Nesse sentido, realizaram um estudo de mercado em que tentaram perceber junto da população de Santo Tirso e de Vila Nova de Famalicão quais as causas dos incêndios e o número de hectares ardidos. De acordo com os resultados, a maioria da população e da comunidade educativa apesar de não saber os números de hectares ardidos, apontaram como principais causas dos incêndios as beatas, falta de prevenção, problemas económicos, falta de acessos para combate aos incêndios, o lixo depositado nas matas e causas naturais. As respostas dadas pelos alunos vão de encontro com o estudo Análise das Causas dos Incêndios Florestais 2003-2013 do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

O Global Action Day foi dinamizado pelo departamento da Eco-Escolas em parceria com os Jovens Repórteres para o Ambiente. Durante uma semana os alunos construíram flyers e cartazes alusivos ao tema que foram distribuídos pela comunidade educativa.

Alunos envolvidos no projeto: Diana Caldas; Francisco Carneiro

Escola: OFICINA – Escola Profissional do Instituto Nun’Alvres

Data: 24/11/16

Partilha esta reportagem em